Acusado de assassinar a ex-mulher estrangulada é preso em Hortolândia

Suspeito tentou se matar ingerindo gasolina e foi levado ao hospital; após receber alta, foi levado à DDM de Sumaré

Um ajudante de pedreiro de 46 anos foi preso pela Polícia Militar, no Jardim Amanda, em Hortolândia, na quarta-feira (24). Ele foi apontado pela polícia como responsável pelo assassinato da ex-mulher, a porteira Cassia Aparecida da Silva Galdino, de 34 anos, que foi estrangulada com um pedaço de fio, dentro do próprio carro. O corpo da vítima foi jogado na calçada, no Jardim Denadai, em Sumaré, na manhã de domingo (21).
Ele foi levado à UPA (Unidade de Pronto Atendimento), após ingerir gasolina, pois disse que queria se matar. Após receber alta médica foi conduzido à DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Sumaré.
O acusado foi localizado pela polícia após ligar para a ex-cunhada. A ligação foi rastreada e o agressor foi encontrado perto de uma lagoa. Ele confessou que bebeu gasolina, porque queria se matar. Ele foi conduzido à unidade de saúde e liberado somente no final da tarde. O suspeito foi apresentado na DDM às 16h57. Ele já tinha mandado de prisão temporária decretado pela Justiça há quatro dias.
O homem prestou depoimento à delegada Nathália Alves Cabral, que é titular da delegacia especializada e depois foi encaminhado à Cadeia local.

O CRIME
Na última segunda-feira (22), o delegado titular de Sumaré, Marcelo Moreschi Ribeiro, já tinha antecipado que a Polícia Civil teve acesso ao áudio que o acusado enviou ao irmão dele, confessando que tinha matado sua ex. Na conversa, ele informou que havia jogado o corpo de Cássia em uma área verde. O carro usado pelo suspeito foi localizado pela Polícia Civil em Valinhos.
Segundo o boletim de ocorrência, na manhã de domingo, a Polícia Militar foi avisada sobre uma possível localização do corpo de uma mulher que tinha marcas de violência no pescoço. Os investigadores Ednaldo e Sales, acompanhados do delegado plantonista Diego Bini, estiveram no local e conversaram com os vizinhos. Eles relataram que pessoas que faziam caminhada logo ao amanhecer se depararam com o corpo da mulher na calçada. Acionaram a Polícia Militar e o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), mas a vítima já estava morta.
A polícia não sabe ao certo o horário em que o corpo foi jogado naquela região, pois um vigilante passou pelo local por volta das 3h da madrugada, mas não havia visto o corpo. Os peritos do IC (Instituto de Criminalística) constataram que a vítima foi enforcada e, pela rigidez do corpo, a morte ocorrera há pelo menos seis horas, ou seja, entre a noite de sábado e a manhã de domingo.
Segundo os peritos, pela posição do corpo, há evidências de que a vítima fora morta dentro de um veículo, onde permaneceu por um tempo, em razão de o corpo estar enrijecido em posição “sentada”.

ÁUDIO
Os policiais civis localizaram o irmão do acusado. Ele disse aos policiais que recebeu uma gravação de áudio do irmão assumindo a autoria do crime. No aúdio, ele teria dito que não aceitava o fim do casamento e por isso teria matado a ex-mulher. Os agentes constataram ainda que Cássia já tinha registrado um boletim de ocorrência contra o ex, no último dia 14, no Plantão Policial de Sumaré, denunciando a ameaça que sofrera do ex. Inclusive já tinha obtido mandado de medida protetiva na Justiça contra o acusado, mas disse na ocasião que não desejava vê-lo preso, mas tentar convencê-lo a um acordo.

Quinta-feira, 25 de Novembro de 2021

Veja Também

Três pessoas ficam feridas em acidente na Estrada Norma Marson Biondo

Três pessoas ficaram feridas após se envolverem em um acidente com três carros, na Estrada ...