Abandono de animais aumenta na pandemia e lota abrigos na região

Prefeituras intensificam campanhas de adoção de cães e gatos e realizam castração gratuita para controlar população animal

O abandono de animais superlota canis e gatis públicos na região, que abrigam cães e gatos além da capacidade estrutural. Apesar de não ter dados estatísticos, Hortolândia e Nova Odessa constatam um aumento no abandono de animais durante a pandemia do coronavírus, cenário que desafia o Poder Público a fortalecer as ações para controlar o número de bichos perambulando pelas ruas. Para minimizar o problema, Prefeituras e entidades intensificam campanhas de adoção de cães e gatos, conscientizam a população sobre a posse responsável e realizam a castração gratuita (veja reportagens abaixo).
Em Hortolândia, o DPBEA (Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal), órgão da Prefeitura, disponibiliza 177 animais para adoção. São 115 cães e 62 gatos. A quantidade é bem superior à capacidade estrutural do espaço, projetado para acolher um total de 100 animais (70 cães e 30 gatos).
De acordo com o diretor do DPBEA, Vanderlei Fernando Azevedo, o órgão faz o recolhimento de cães e gatos soltos em vias públicas de forma seletiva. A prioridade é para animais em situações de sofrimento (doentes, lesões/traumas graves por atropelamento), sem proprietário.
“Após o resgate, esses animais são medicados e, depois da recuperação, disponibilizamos para a adoção”, completa Azevedo.
Durante a pandemia, o diretor do DPBEA constatou crescimento nos casos de animais abandonados. “Notamos um discreto aumento nas adoções nos primeiros meses da pandemia. Porém, infelizmente, nos meses seguintes, principalmente ao longo deste ano, as adoções despencaram, juntamente com o aumento dos casos de abandono, negligência e maus tratos”, observa.
Em Nova Odessa, o abrigo de animais da AAANO (Associação Amigos dos Animais de Nova Odessa), entidade parceira da Prefeitura para acolher animais abandonados, também está lotado.
Segundo Thiago Rodrigues, presidente da AAANO, a associação abriga, atualmente, 350 cães e 150 gatos, totalizando 500 animais. Sua capacidade é para atender um total de 250 animais.
De acordo com o Departamento de Comunicação da Prefeitura, os animais resgatados pelo Setor de Zoonoses são destinados ao abrigo somente em situações extremamente necessárias porque não há espaço para receber novos pets.
“Na pandemia, tivemos uma procura grande de adotantes, mas também de pessoas querendo doar, e abandonos. Vários motivos levam a isso: estresse, mudança, desemprego. Mas a maioria é porque a pessoa, simplesmente, não quer mais o pet, aí descarta como se fosse qualquer objeto”, conta Rodrigues.
A AAANO promove a venda de cebolas para arrecadação de recursos para pagar as dívidas da ONG e vai participar da Festa da Nações, que começa no próximo dia 16. Também recebe recursos da Prefeitura, anualmente, para auxiliar em suas atividades.
“Animal na rua é uma questão de saúde pública. Ele pode ser atropelado, causar acidentes de trânsito, num reflexo de defesa pode morder alguém. Além disso, fica com fome e frio, sem destino. Em Nova Odessa, já temos alguns casos onde pessoas foram punidas por maus tratos”, informa o presidente da AAANO.

É preciso cumprir a lei que pune maus-tratos, afirma conselheiro
O Conselho Municipal de Proteção e Defesa Animal (CMPDA) de Hortolândia iniciou os trabalhos para criação de um plano que vai orientar suas ações em torno da questão animal e fazer com que a comunidade os “ouçam”. “Nosso objetivo é dar voz aos animais em nossa cidade”, afirma Claudinei Prazeres, presidente do órgão, eleito na última quarta-feira (6), para o biênio 2021/2023.
De acordo com Prazeres, o grande desafio é trabalhar para que os órgãos de fiscalização e que têm poder de polícia possam cumprir a legislação que pune os maus-tratos aos animais. “Atualmente, por uma questão cultural, que consolida a falta de respeito aos bichos, há muita dificuldade no atendimento às ocorrências. Fazer com que a Legislação seja cumprida passa a ser uma tarefa de primeira grandeza para o Conselho”, diz Prazeres.

DICAS PARA A GUARDA RESPONSÁVEL DE ANIMAIS
– Não deixar o bicho de estimação solto na rua;
– Ter disponibilidade para ele e oferecer muito afeto e atenção;
– Manter sempre o animal na coleira e com identificação referente ao nome do dono e telefone;
– Possuir espaço físico no imóvel proporcional ao porte do animal;
– Realizar visitas regulares a um veterinário para vacinas anuais.

Municípios intensificam campanhas de adoção e posse responsável
Os municípios têm realizado campanhas para adoção de animais e de conscientização da posse responsável. Em Hortolândia, quem tem interesse em adotar um animal pode ir ao DPBEA (Departamento de Proteção e Bem- Estar Animal), na Rua Athanázio Gigo, 60, no bairro Chácaras Recreio 2.000, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h.
Para adotar um gato ou cachorro é preciso ser maior de 18 anos, gostar de animal, ter espaço apropriado para abrigá-lo e, principalmente, assumir o compromisso de cuidar direito do bicho. O interessado também responde a um questionário e passa por entrevista com uma veterinária.
Segundo o diretor do órgão, Vanderlei Fernando Azevedo, todos os animais são vermifugados, vacinados e castrados antes da doação. “É preciso planejar a adoção de um animal de estimação e ter estrutura para acolher o bicho. Sem esse cuidado, o abandono continuará uma prática crescente”, orienta Azevedo.
Segundo Thiago Rodrigues, presidente da AAANO (Associação Amigos dos Animais de Nova Odessa), para adotar um animal, é preciso preencher a ficha de inscrição para visita no abrigo, selecionar o animal, responder à entrevista, microchipar o pet (R$ 20 pagos na hora) e depois cuidar bem dele em casa, seguindo a cartilha da posse responsável. Os horários das visitas no abrigo são aos sábados, das 9h às 12h – sempre agendado.
Quinzenalmente, a AAANO realiza também as feiras de adoção no estacionamento do Supermercado São Vicente de Nova Odessa, das 10h às 13h.

Bichinhos não votam, mas ‘elegem’ representantes
Vereadores eleitos com a bandeira da proteção animal são a “voz” dos bichos nas Câmaras da Região para ampliar as políticas públicas nessa área.
Em Hortolândia, a vereadora Marcia Campos (PSB), fundadora do Projeto Cão Feliz & Cia, conquistou uma das 19 cadeiras na Câmara. Eleita com 1.067 votos, a parlamentar continua o trabalho para ampliar as ações públicas em defesa dos animais.
Em Sumaré, o vereador Allan Leal (Patriota) também defende os animais. É ele o autor da lei que institui o Banco de Ração e Utensílios para animais na cidade, e da que cria a Semana de combate ao abandono de cães e gatos.
“Os animais não têm porta-voz. Eles não sabem se comunicar quando sentem dor, frio ou fome. Um vereador eleito em favor da causa animal, certamente tem como dever trazer voz e ser a esperança de que possam haver direitos que resguardem e zelem pelos nossos animais”, comenta Allan Leal.
Na Câmara de Monte Mor, vários parlamentares são a “voz” dos animais na Câmara, segundo a Assessoria de Imprensa do órgão: Bruno Leite, Alexandre Pinheiro, Beto Carvalho, Wal da Farmácia, Andrea Garcia e Nelson Almeida.

Castração gratuita atenderá 1.111 animais em Hortolândia
Para reduzir a população animal nas ruas, Hortolândia realizará, a partir da próxima semana, a castração gratuita de 1.111 animais. A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável informa que o trabalho será realizado em quatro regiões da cidade, nos dias 13, 14, 15 de outubro e 3 e 4 de novembro.
Só serão castrados os animais inscritos previamente. O período de inscrição online terminou no dia 6 de outubro. Em Nova Odessa, o Departamento de Comunicação da Prefeitura informou que, em breve, anunciará nova campanha de castração de cães e gatos na cidade.

Comerciante dá um lar à cadela Lady
A cachorrinha Lady ganhou um lar, graças à comerciante Maria Lucia da Silva, 56, moradora do bairro Remanso Campineiro, em Hortolândia, que estava à procura de uma companheira para sua outra cadela de estimação.
Lady foi recolhida pelo DPBEA (Departamento de Proteção e Bem-Estar) Animal, com a pata quebrada, após sofrer um acidente. “Quando adotei a Lady, ela já estava curada. Foi paixão à primeira vista. É linda”.
O prefeito de Nova Odessa, e médico veterinário, Claudio José Schooder, o Leitinho, adotou dois gatos da AAANO, o Milk e a Panacotta, que ganharam até perfil no Instagram, @gatosdaprefs.

Domingo, 10 de Outubro de 2021

Veja Também

Hortolândia castra 600 animais na primeira etapa da campanha de controle populacional

A Prefeitura de Hortolândia realizou a campanha de castração de cães e gatos, nesta semana. ...