Gestores de Mogi Mirim e Mogi Guaçu conhecem projeto de compostagem

A Coden Ambiental, empresa responsável pelos serviços de Saneamento Básico de Nova Odessa, recebeu a visita de gestores dos serviços de água, esgoto e meio ambiente das prefeituras de Mogi Guaçu e Mogi Mirim, no começo do mês. Os técnicos vieram conhecer o projeto de compostagem de lodo da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Quilombo. O objetivo dos visitantes é implantar um sistema semelhante que seja compartilhado entre ambos os municípios.
Atualmente, a ETE Quilombo produz mais de 5 toneladas de lodo por dia, que são destinadas para aterro sanitário. Porém, a intenção da Coden é que o material orgânico do esgoto possa ser processado na própria unidade para ser reaproveitado em fins ambientais, como a adubação do solo em áreas públicas.
A ETE Quilombo já dispõe de licenças ambientais, barracão, composteira e demais equipamentos necessários à compostagem e, de acordo com o diretor Técnico da Coden, Rean Gustavo Sobrinho, a operação se iniciará em breve.
“Dependemos apenas da finalização do processo de terceirização de mão-de-obra para operar com 100% da capacidade na produção de adubo orgânico classe D, o que significará, além de uma grande contribuição ao meio ambiente, uma redução significativa de custos, pois estaremos diminuindo as despesas com aterro sanitário, que são muito elevadas”, afirmou.
A engenheira química da ETE Quilombo, Camila Jorge Gomes, explicou que a compostagem é realizada em três etapas. “Primeiro, o lodo gerado na unidade é misturado aos resíduos de podas de árvores, permanecendo em descanso durante um mês. Em seguida, a mistura é higienizada por meio de fermentação natural para a eliminação de microrganismos nocivos ao ser humano. Esta segunda fase ocorre em um período de mais trinta dias, podendo alcançar temperatura de até 70ºC. Na última etapa, o fertilizante é peneirado e pode ser utilizado em jardins e lavouras específicas”, detalhou.
Estiveram presentes Sirlei Cristiana Brignoli, coordenadora de Operações do SESAMM (Serviços de Saneamento de Mogi Mirim); Fábio Henrique Salvalaio, engenheiro ambiental do SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Mogi Mirim); Jean Carlo Canato, assessor técnico da SAAMA (Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente de Mogi Guaçu); além de André Galhardoni e Lilian de Almeida, respectivamente gerente de Operações e Obras e engenheira química do SAMAE (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto de Mogi Guaçu).

Terça-feira, 14 de Setembro de 2021

Veja Também

Estado destina 650 cestas básicas ao Fundo Social de Solidariedade

Programa “Alimento Solidário” entregou até agora 12.430 cestas às famílias carentes de Sumaré O Governo ...