Side view portrait of senior factory worker in packaging section of modern production workshop, copy space

Com 8 mil vagas criadas, geração de empregos aumenta 138,8% na região

Em média, foram abertos 44,5 postos de trabalho por dia; maiores crescimentos foram registrados em Paulínia, Sumaré e Hortolândia

Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa, Paulínia e Sumaré geraram 8.059 empregos com carteira assinada no primeiro semestre deste ano, uma média de 44,5 postos de trabalho abertos por dia. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia. O saldo é 138,8% superior ao volume registrado no mesmo período de 2020, no primeiro pico da pandemia de Covid-19, quando foram criadas 3.375 vagas formais, média de 18,5 oportunidades diárias.
O saldo positivo é resultado de 43.118 contratações e 35.059 demissões entre janeiro e junho de 2021. Embora o saldo tenha sido maior, o volume de admissões e desligamentos foi inferior ao de 2020. No período, foram 65.971 contratações e 62.596 demissões.
Segundo o Caged, Paulínia, Sumaré e Hortolândia foram as cidades que registraram os maiores crescimentos entre as cinco cidades.
Em Paulínia, o saldo saltou de 499 empregos em 2020 para 2,3 mil este ano, alta de 360,9%. Já em Sumaré, o aumento foi de 208%. Foram 799 vagas abertas no ano passado ante 2.461 acumuladas entre janeiro e junho de 2021. Com avanço de 532 postos de trabalho para 1.610 este ano, Hortolândia registrou elevação de 202,6%.
Monte Mor teve crescimento mais discreto no período, de 24,7%. Foram 859 empregos formais este ano, contra 689 em 2020.
A única cidade que fechou postos de trabalho foi Nova Odessa. Depois de um bom desempenho no primeiro semestre do ano passado, com 856 vagas abertas, o maior entre as cinco cidades e um dos melhores saldos de toda a RMC (Região Metropolitana de Campinas, o município gerou 829 empregos em 2021, queda de 3,1%.
A geração de empregos em junho foi determinante para o saldo semestral de 2021. De acordo com os dados do Caged, o mês registrou o segundo maior número de vagas no ano, com 1.376 postos abertos nas cinco cidades, ficando atrás apenas de fevereiro, quando foram geradas 2.743 oportunidades. Os setores de serviços, comércio, indústria e construção civil foram os maiores responsáveis pela retomada.

NO BRASIL
No país, foram gerados 1,5 milhão de empregos com carteira assinada no primeiro semestre. O saldo é resultado de 9.588.085 contratações e 8.051.368 de desligamentos. O número é 28,6% superior ao contabilizado no ano passado – 1,19 milhão de vagas.

‘Não podemos falar, ainda, em uma retomada; percentual de desempregados continua estável’
Para o professor titular de economia da Fatec de Americana, Marcos de Carvalho Dias, apesar do crescimento na abertura de postos de trabalho observado na região, o percentual de trabalhadores desempregados continua estável, que no Brasil permanece em 14,7%, o mais alto já calculado até hoje.
“Isso mostra que não podemos falar, ainda, em uma retomada do emprego no país, pois as novas vagas são equivalentes à quantidade de novos trabalhadores que estão entrando no mercado de trabalho. Por isso, esta estabilidade no percentual de desempregados. Apesar do alto percentual de crescimento do número de vagas criadas na região, em relação ao primeiro semestre do ano passado, o mesmo não se observa no país como um todo, quando o percentual de desemprego no primeiro semestre era de 13,3%”, pontuou o economista.
Segundo ele, houve um aumento do desemprego no país no período, o que mostra que tal crescimento foi algo pontual, provocado por algum evento regional, e que não foi acompanhado pelo restante do país. “Não se pode considerar, portanto, que estamos num processo de retoma do emprego, pois nossa região não está separada do restante do Brasil, cuja situação do emprego tem piorado a cada mês”, analisou.
Outro ponto destacado pelo professor de economia é que o governo atual alterou a metodologia de cálculo do desemprego este ano, com o “Novo Caged”, ampliando o conceito de pessoas empregadas, o que não reflete, necessariamente, que novas vagas de emprego foram criadas em relação ao ano passado. “Nessa nova metodologia, qualquer pessoa que declare que está contribuindo com a previdência é considerado como empregado, o que muitas vezes não é verdade. Assim, não da para comparar esse semestre com o mesmo período do ano passado”, concluiu Carvalho Dias.

Domingo, 1º de Agosto de 2021

Veja Também

RetomaSP será lançado em Campinas nesta 6ª feira para alavancar economia

Evento vai tratar de temas como transformação digital e inovação tecnológica e será o primeiro ...