Brischi afirma que moradores de rua deixaram cidade por vontade própria

Após repercussão nacional, prefeito de Monte Mor publica vídeo em redes sociais e diz que não chamou pessoas de lixo

Após expulsar dez moradores em situação de rua, sob o argumento de que não podia ver Monte Mor “virar um lixo”, o prefeito Edivaldo Brischi (PTB) compartilhou um vídeo em suas redes sociais, no qual afirmou que os moradores foram encaminhados aos seus destinos de origem por vontade deles e que pode ter se expressado mal ao usar a palavra lixo ao abordar a situação em uma live. Brischi disse, ainda, que sua gestão cuida das pessoas que não têm um teto para morar, oferecendo, inclusive, emprego.
A manifestação ocorreu seis dias depois de a Prefeitura de Monte Mor ter despachado, em uma van, dez pessoas que viviam nos arredores do Terminal Rodoviário para o município de Boituva, na região de Sorocaba. Lá, o caso foi parar na Polícia Civil e no Ministério Público, após elas afirmarem ter deixado a cidade contra a vontade delas.
Dias antes, o prefeito havia anunciado a revitalização do entorno do terminal e citado a remoção dos moradores como uma das medidas. “Não posso ver minha cidade virar um lixo”, disse ele.
No vídeo publicado no início da noite desta segunda-feira (19) em seus perfis no Facebook e no Instagram, o chefe do Executivo montemorense nega que os moradores tenham deixado a cidade contra a vontade.
“Eles pediram dinheiro para irem embora para suas cidades. Por que não fizemos isso? Porque tinha que levar os pertences, o cachorrinho deles, o colchão, a panela. Então, disponibilizei uma van para levar algumas pessoas a serem entregues em duas ou três cidades. Eu não sei o que aconteceu depois. Sei que foram deixadas pessoas em Porto Feliz, Boituva e era para seguir para Rio das Pedras, onde elas moravam”, afirmou o petebista.
Brischi afirmou que já assistiu 11 moradores em situação de rua desde que assumiu a prefeitura, em 1º de janeiro, e que eles são cuidados no Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) e levados para casa-abrigo, onde recebem banho e janta. “A gente cuida deles”, disse Edivaldo Brischi, com voz serena.
O prefeito tentou amenizar a forma com que se referiu aos moradores, numa transmissão ao vivo compartilhada em suas redes. “Na live, eu falei que o local estava se transformando num lixo. Pode ser que eu me expressei errado ou as pessoas editaram o vídeo de maneira errada. Era o local, não as pessoas”, comentou. “Eu sei o que é viver nas ruas. No passado, minha mãe acolheu morador de rua em casa e eu também tive um morador de rua na minha empresa”, concluiu o apoiador do presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido).
A expulsão dos moradores de rua de Monte Mor foi registrada em um boletim de ocorrência e está sendo investigada pela Promotoria de Justiça de Boituva. O caso ganhou repercussão na mídia nacional, com publicações em veículos como TV Globo, jornal Folha de S.Paulo, revista Veja e o portal de notícias UOL. Líderes da esquerda, como Guilherme Boulos, do PSOL, e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, também comentaram o episódio.

Terça-feira, 20 de Julho de 2021

Veja Também

Parceria entre Samu e Hospital Estadual agiliza atendimento a pacientes com AVC em Sumaré

Por meio de iniciativa internacional, qualidade do serviço prestado a pacientes tem melhorado no município ...