Escolas poderão definir número de alunos durante as aulas presenciais

Nova regra, que valerá para escolas públicas e privadas, foi anunciada nesta quarta-feira pelo Governo do Estado

O Governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (16) que, a partir de agosto, as escolas públicas (municipais e estaduais) e privadas de todas as regiões do Estado poderão escolher a quantidade de alunos que participarão de atividades presenciais. Atualmente, o limite estabelecido pelo Plano SP é de 35% da capacidade da sala de aula.
De acordo com o governo, cada escola irá elaborar o seu plano de retorno levando em consideração a realidade da comunidade escolar. No entanto, deverão ser observados protocolos sanitários como distanciamento mínimo de um metro entre as pessoas. Para a rede estadual, a volta às aulas presenciais não será obrigatória para os estudantes.
“Neste novo plano, cada escola deverá determinar a capacidade de acolhimento total de alunos de acordo com a sua realidade, desde que sejam respeitados todos os protocolos de prevenção, como uso de máscara, álcool em gel e distanciamento mínimo de um metro entre os estudantes na sala de aula”, afirmou o governador João Doria (PSDB). “São Paulo foi o primeiro estado do Brasil a vacinar os profissionais de Educação e está empenhado em garantir um retorno seguro às aulas presenciais”, completou o governador.
Também estão sendo adquiridos três milhões de testes de Covid-19 destinados para profissionais da educação e estudantes. A compra está sendo feita por meio de ata de registro da Secretaria Estadual de Saúde e os testes serão aplicados em parceria com secretarias municipais de Saúde em casos sintomáticos. Também será feita avaliação sentinela para garantir vigilância epidemiológica escolar.
Todos os demais protocolos de segurança para o combate ao coronavírus, como uso correto de máscara, medição de temperatura, higienização constante das mãos e identificação e afastamento de casos suspeitos ou confirmados serão mantidos.
“Quanto mais tempo demorarmos a voltar, maior será o deficit de aprendizagem dos nossos estudantes. É urgente voltarmos com nossas crianças, jovens e adultos às aulas presenciais”, destacou o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares.

ESSENCIAL
O governo estadual já havia decretado a educação como um serviço essencial e, com o novo plano de ampliação da retomada das aulas em agosto, a Seduc-SP (Secretaria da Educação) quer minimizar os efeitos causados pela pandemia.
Sem o ensino presencial, os impactos na aprendizagem também são grandes. Avaliação feita pela Seduc-SP e UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) detectou uma estimativa de 11 anos para os alunos da rede estadual recuperarem a aprendizagem em matemática. Além disso, os impactos na saúde emocional dos estudantes podem ser potencializados. Um estudo feito pela Seduc-SP em parceria com o Instituto Ayrton Senna antes da pandemia já mostrava baixos índices na autopercepção dos alunos em aspectos emocionais que podem piorar depois de tanto tempo longe das salas de aula.

Quinta-feira, 17 de Junho de 2021

Veja Também

Aulas presenciais serão retomadas na segunda-feira em Monte Mor

Atividades recomeçam com 3,7 mil alunos, que correspondem a 33% dos estudantes matriculados em 31 ...