Câmara de Monte Mor pede medidas para amenizar efeitos da pandemia

Moção aprovada pelos vereadores sugere a criação de mecanismos como isenção de tributos para auxiliar empresários da cidade

Através da moção 24/2021, os vereadores de Monte Mor solicitam que a prefeitura viabilize medidas para “amenizar os impactos sofridos pelos setores de eventos artísticos, bares, restaurantes, comércio e similares”, durante a pandemia da Covid-19. A propositura é de autoria da vereadora Camilla Hellen (Republicanos) e foi aprovada por unanimidade na sessão ordinária de segunda-feira (7).
A parlamentar destaca que tais categorias foram as que “mais sofreram e vêm sofrendo até agora com a pandemia e a paralisação das atividades em razão da necessidade de se manter o distanciamento social”. E pede que o município “estude mecanismos de ajuda, suporte e socorro […], seja por meio da isenção de tributos enquanto perdurar a pandemia, seja por outras formas que o Executivo julgar cabíveis”.
“A pandemia devastou e está afetando de forma severa diversos setores da economia. Inúmeros estabelecimentos foram fechados. O desemprego tem prejudicado o sustento de muitos cidadãos. Trata-se de uma tragédia histórica, que jamais foi vista em tempos atuais”, afirma Camilla, ressaltando que tais categorias “necessitam de socorro e de medidas que visem amenizar os impactos sofridos”.
A moção pede que a prefeitura realize estudos para adotar tais medidas “enquanto perdurar a obrigatoriedade de se observar o distanciamento social”. “Muitas famílias e trabalhadores auferem renda por meio de eventos, principalmente na atividade econômica atinente ao serviço de bares, restaurantes e similares. Não é razoável deixar que esse setor deixe de existir em nosso município”, apela a vereadora.
A reportagem do jornal Tribuna Liberal questionou a Prefeitura de Monte Mor, mas não obteve resposta até o fechamento da edição.

MERENDA ESCOLAR
Por onze votos favoráveis e 3 contrários, a Câmara aprovou o requerimento 8/2021. Também de autoria da vereadora Camilla Hellen, e assinada por Paranhos (MDB) e Bruno Leite (DEM), a propositura pede informações à Secretaria de Educação sobre o tipo de merenda que será fornecida aos alunos da rede pública, e se haverá mudança no critério de disponibilização do transporte escolar. O Requerimento se insere no contexto da retomada das aulas presenciais, prevista para o próximo dia 21 de julho, na rede municipal de ensino.
Em discurso, Camilla explicou que vem sendo procurada por responsáveis de alunos, com tais questionamentos. Disse, ainda, que foi divulgado que pais estariam sendo avisados de que as crianças iriam receber “merenda seca” (biscoitos, sucos em caixinha, etc.). Relatou, também, que “em algumas escolas, já estão sendo divulgadas as listas das crianças que terão direito ao transporte escolar, que foram reduzidas drasticamente, por conta dos referidos 2 km” – critério de distância mínima entre as residências e as escolas, para concessão do benefício, que estaria previsto em documento federal.

Quarta-feira, 9 de Junho de 2021

Veja Também

Sirineu Araujo propõe semana de educação no trânsito em Sumaré

Objetivo da proposta é melhorar a segurança para motoristas, ciclistas e pedestres na cidade; projeto ...