Comércio se reinventa e luta para sobreviver

O comércio é um dos setores que luta para sobreviver diante da crise do novo coronavírus, principalmente os estabelecimentos de pequeno porte. Para manter as portas abertas, muitos tiveram que aprender a vender online e entregar os produtos na casa do consumidor, observa a ACIAH (Associação Comercial e Industrial de Hortolândia).
“Estamos preocupados. É preciso misericórdia para não fechar as portas. Temos de 3 mil a 4 mil comércios formais. Com a pandemia esse número caiu. Muita gente fechou as portas. Perdemos metade dos nossos associados. Esperamos que não haja um novo fechamento, senão vai ser o caos”, afirma o presidente da ACIAH, Renato Figueiredo.
Segundo Figueiredo, muitos comerciantes de pequeno porte estão sem condição de pagar aluguel e acabam encerrando as atividades. “Pedimos apoio da Prefeitura aos comerciantes. Se fecharmos as portas, a cidade terá menos emprego e menos arrecadação de impostos. Mas temos que manter a fé e esperança de que tudo vai melhorar”.

Quarta-feira, 19 de Maio de 2021

Veja Também

Após saída de investigadores de DPs, Alan Leal faz apelo a delegada seccional

A informação de que todos os investigadores da Polícia Civil que atuam nos seis distritos ...