Alunos do Sesi Hortolândia se destacam em Olimpíada Brasileira de Robótica

Alice Haiter conquistou a medalha de ouro; Lavínia Viana, Talita Marcelino e Victor Hugo foram contemplados com menção honrosa Alice Haiter conquistou a medalha de ouro; Lavínia Viana, Talita Marcelino e Victor Hugo foram contemplados com menção honrosa

Lidar com problemas, desenvolver o raciocínio lógico e enxergar a complexidade do mundo por meio das disciplinas aprendidas em sala de aula são habilidades que quatro jovens de Hortolândia já demonstraram ter. Apesar da pouca idade, Alice Haiter, 9 anos, Lavínia Viana, 7 anos, Talita Marcelino, 11 anos, e Victor Hugo, 15 anos, todos alunos do Sesi (Serviço Social da Indústria), enfrentaram a prova teórica da edição 2020 da OBR (Olimpíada Brasileira de Robótica) e se saíram muito bem. O teste foi aplicado em dezembro do ano passado e, recentemente, a organização da OBR distribuiu as medalhas aos vencedores da edição 2020 da competição. Alice levou ouro e Lavínia, Talita e Victor foram contemplados com menção honrosa.
Na última terça-feira (11), os estudantes receberam as medalhas da equipe da escola Sesi de Hortolândia, onde participam das aulas de Programação e Robótica, que integram a grade curricular escolar. Nas aulas, os alunos são motivados pelo uso da criatividade, pela construção de robôs e pelo entretenimento proporcionado pelas atividades e jogos educativos, mas o conteúdo vai muito além da área tecnológica, já que a proposta é interconectar conhecimentos.
Para a professora de Programação e Robótica do Sesi Hortolândia, Tássia Oliveira Biazon, as aulas desse componente curricular inovador buscam aproximar os conceitos tecnológicos do dia a dia dos estudantes, mostrando que as diferentes áreas do conhecimento estão interligadas. “A tecnologia é importante, mas ela não é o todo e nem pode ser desenvolvida de forma isolada. Se em uma atividade prática (maker) trabalhamos o protótipo de um avião, por exemplo, podemos trazer para o estudo teórico conhecimentos sobre o contexto histórico e biológico, como o formato aerodinâmico das aves, a matéria-prima encontrada na natureza e a história da evolução tecnológica”, explica Tássia.
A proposta das aulas vai ao encontro da abordagem realizada pelas provas da OBR, pois as questões apresentadas são multidisciplinares, envolvendo matemática, português, ciências, atualidades e outras áreas. Para a medalhista de ouro, Alice Haiter, uma questão da prova que chamou atenção e exigiu um grande esforço para resolução foi o exercício de identificar o desenho de um percurso a partir dos símbolos dados, ou seja, transformar as informações passadas em um código visual.
Na visão da professora Tássia, “são esses desafios que motivam os alunos a irem além”. Segundo ela, a participação em olimpíadas do conhecimento é uma vivência extracurricular que traz experiência para outras situações que os alunos enfrentarão ao longo da vida. “Eles desenvolvem a autonomia, a criatividade e se sentem mais confiantes. Essas vivências os incentivam a desenvolverem novas habilidades, como um olhar mais questionador e investigativo sobre o mundo”, afirma.
O professor Leonardo Panazzolo, que também leciona Programação e Robótica no Sesi Hortolândia, salienta que existe uma enorme necessidade de inserção de conhecimentos tecnológicos para a vivência do mundo 4.0, devido à ascensão da internet das coisas e à inteligência artificial. “A prática da Robótica na escola insere o aluno nesta realidade tão próxima, fazendo-o não apenas um mero expectador do tema, mas sim atuante em tais tecnologias por meio da cultura maker, desenvolvida em nossas aulas”, relata Leonardo.
Na entrega das medalhas, além dos professores Leonardo e Tássia, estiveram presentes o diretor da escola de Hortolândia, Moacir Padin, os coordenadores pedagógicos Luiz Carlos Collaço e Daniele de Souza Bicalho, as inspetoras Dirce Borges e Rosângela Jubilado e familiares dos alunos premiados.
Na terça-feira, também foi entregue o certificado de menção honrosa ao aluno Luiz Fernando Silva de Morais, 17 anos, que participou da Olimpíada Nacional de Ciências e garantiu um bom desempenho na prova.

INSCRIÇÕES ABERTAS
A edição 2021 da Olimpíada Brasileira de Robótica está com inscrições abertas. Na modalidade teórica, o prazo é até quarta-feira (19). A modalidade prática tem inscrição até 16 de junho. Em 2020, 389 alunos do Sesi no Estado de São Paulo foram medalhistas, sendo 90 de ouro, 33 de prata, 84 de bronze e 182 de honra ao mérito.

Alice Haiter, a mãe Eliane, a avó Giorgina e o pai Maurício

Victor Hugo e o professor Leonardo Panazzolo

Lavínia Viana e a mãe Rosilene

Talita Marcelino e a mãe Andreia

Luiz Fernando e o professor Leonardo

Domingo, 16 de Maio de 2021

Veja Também

Sirineu Araujo propõe semana de educação no trânsito em Sumaré

Objetivo da proposta é melhorar a segurança para motoristas, ciclistas e pedestres na cidade; projeto ...