Vereador cobra construção de ETE que deveria ter sido entregue em março

Requerimento de Tião Corrêa se refere à estação Tijuco Preto; BRK Ambiental informou que aguarda liberação de áreas para obras

O vereador Tião Correa (PSDB) cobrou explicações da concessionária BRK Ambiental sobre as obras de construção da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Tijuco Preto, no Residencial Parque Pavan, em Sumaré. A cobrança foi feita por meio do requerimento nº 28/2021, aprovado com 19 votos favoráveis na sessão ordinária de terça-feira (4).
O parlamentar alega que, no dia 2 de julho de 2019, a BRK noticiou em seu próprio site o início da construção da ETE Tijuco Preto, com investimento de R$ 60 milhões. A conclusão da obra foi estimada para março de 2021. Durante a sessão desta terça, o vereador exibiu um vídeo que mostra o local onde a ETE deveria ter sido construída. As imagens mostram apenas um terreno cercado por muros, sugerindo que a obra ainda nem teria começado. No requerimento, Tião Correa questiona a concessionária em que fase se encontra a construção da ETE e qual a previsão de término.
Como previsto no TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado entre o município e o Ministério Público, Sumaré deverá ter 100% de esgoto coletado e tratado até dezembro de 2022. Com base nesse acordo, o vereador também questionou à concessionária se o pacto com o MP foi renovado ou se existe pretensão de renovação do TAC e ainda se a empresa está conseguindo atender as cláusulas do acordo.
A ETE do Tijuco Preto pretende elevar o índice de tratamento de esgoto em Sumaré dos atuais 30% para 65%, sendo responsável por tratar 230 litros de esgoto por segundo, em atendimento a 52 bairros das regiões do Matão e da Área Cura. Aproximadamente 115 mil pessoas serão beneficiadas com esta obra, que trará ganhos também ao meio ambiente, dado que o Ribeirão Quilombo não receberá mais essa parcela de esgoto sem tratamento.

OBRAS DEPENDEM DE ÁREA
Procurada pela reportagem, a BRK informou que “já concluiu a etapa de terraplanagem e se prepara para o início da construção da estação, o que ocorrerá em paralelo à implantação das redes de coleta de esgoto responsáveis por levar o efluente para tratamento na nova ETE”. A concessionária afirmou que está em tratativas com a Administração Municipal para liberação das áreas para a implantação dessas redes. “Tão logo isso ocorra, as obras serão iniciadas”, disse a empresa, em nota encaminhada à redação.
Segundo a concessionária, a ETE Tijuco Preto será responsável por tratar o esgoto da bacia de mesmo nome, formada pelas regiões do Matão e da Área Cura. Com investimento previsto de R$ 60 milhões, que contemplam a ETE e 12 quilômetros de redes coletoras para levar o efluente até ela, a nova estação vai permitir tratar o esgoto das duas regiões. O sistema que será operado nessa ETE se chama Nereda e sua tecnologia será capaz de remover nitrogênio e fósforo do esgoto, devolvendo um efluente mais limpo aos rios e córregos.
“Após a ETE Tijuco Preto, a concessionária também tem prevista a construção da ETE Quilombo e outros 40 quilômetros de coletores, alcançando, assim, a universalização (100%) dos serviços de esgoto em Sumaré. A construção desta ETE bem como das redes de coleta também dependem de liberação de áreas, assunto que está sendo tratado com a prefeitura”, completou a BRK Ambiental.
A concessionária informou que, desde o início do contrato, em 2015, já ampliou de 14% para 30% o índice de tratamento do esgoto em Sumaré. Isso, segundo a empresa, significa um acréscimo de 125 mil litros no volume de efluente tratado mensalmente na cidade.

Quinta-feira, 6 de Maio de 2021

Veja Também

Medidas protetivas contra violência doméstica crescem 65,4% na região

De acordo com o Tribunal de Justiça, foram 379 pedidos entre janeiro e maio de ...