Prefeitura de Hortolândia e Sabesp alertam sobre uso consciente da água

Sem grandes volumes de chuva desde 6 de março, município precisa de ajuda da população para manter abastecimento

Hortolândia não registra grandes volumes de chuva desde o dia 6 de março. De acordo com a Defesa Civil, órgão da Prefeitura, naquela data choveu aproximadamente 40 milímetros. Já em mês de abril, foram registrados volumes insignificantes de chuva no município: no dia 7, foram 11,5 milímetros; e no dia 18, 9 milímetros. Com quase dois meses sem grandes volumes de precipitação na cidade e em toda a região, os reservatórios que abastecem a cidade passam por um período de escassez e, para o problema não se tornar ainda maior, é importante a colaboração da população na hora de consumir água.
A água que abastece Hortolândia vem do Rio Jaguari, de um ponto de captação há 20 quilômetros, localizado em Paulínia. A água bruta é tratada na ETA (Estação de Tratamento de Água) (foto), localizada no Jd. Boa Esperança. De lá, a água é distribuída para reservatórios espalhados por vários bairros da cidade. Porém, sem previsão de grande volume de chuva nos próximos dias e com a chegada do período de estiagem, o uso consciente da água é a melhor maneira para proteger a água, importante recurso natural.
A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) parceira da prefeitura no abastecimento de água e coleta e tratamento do esgoto em Hortolândia, realiza ações para informar e conscientizar a população sobre o consumo da água. Segundo o órgão Estadual, simples ações no dia a dia contribuem para o enfrentamento deste período.
O Pura (Programa do Uso Racional da Água Sabesp) tem um manual com alguns números interessantes que mostram a necessidade do uso consciente. Exemplos não faltam. Uma torneira mal fechada na pia do banheiro ou da cozinha, por exemplo, desperdiça de 40 a 130 litros de água por dia. Manter a torneira fechada ao escovar os dentes ou fazer a barba evita o desperdício de 79 litros de água em um apartamento. Outras ações, como não jogar papel higiênico no vaso sanitário, fechar a torneira enquanto se ensaboa a louça ou o chuveiro na hora de ensaboar o corpo também são simples ações pelas quais a natureza “agradece”.
E não é só dentro de casa que pode se economizar no uso de água. Usar a vassoura para varrer a calçada em vez de lavá-la gera uma economia de até 279 litros de água. Usar um balde para lavar o carro e não a mangueira, como é de costume, evita o desperdício de até 176 litros de água. Na parte hidráulica da residência, estar atento a vazamentos também contribui com a economia de água.
“A Sabesp tem trabalhado com os folhetos digitais, que estão sendo enviados maciçamente para grupos de WhatsApp e e-mails, além de uma campanha no Youtube. Essa linha de comunicação, se bem entendida e praticada pela população, trará bons frutos para atravessarmos o período de estiagem que se inicia. Além disso, para as pessoas, significa economia no valor das constas de consumo”, explica Douglas Albuquerque Leite, Relações Públicas do órgão na Divisão de Gestão Comercial e Marketing – Unidade Capivari/Jundiaí.

OPERAÇÃO ESTIAGEM
Para proteger recursos naturais como a água, fazendo o uso consciente dela, é necessário que haja mudança com relação a certos hábitos, uma vez que, devido à diminuição do volume dos reservatórios e rios brasileiros, pode ocorrer racionamento de água e também falta de energia elétrica, já que grande parte da eletricidade no país é produzida por usinas hidrelétricas. Neste período de atenção, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, órgão da Casa Civil do Governo do Estado, prepara as diretrizes a serem repassadas aos municípios para que seja implantada a “Operação Estiagem 2021”, que começou a partir deste sábado (01/05). De acordo com a Defesa Civil do Estado, a estiagem é “o resultado da redução, atraso ou ausência de chuvas, e períodos chuvosos previstos para uma determinada temporada. Nessa época, o ar fica mais seco, propiciando problemas respiratórios, gripes e alergias”.
Outro risco importante é o aumento do perigo de incêndios em matas e florestas e os focos de queimadas nas cidades. Em razão disso, a Defesa Civil de Hortolândia alerta sobre a importância da colaboração de todos, do Poder Público e da sociedade. Se avistar fumaça suspeita ou em caso de incêndio, avise imediatamente o Corpo de Bombeiros, pelo telefone 193.

Domingo, 2 de Maio de 2021

Veja Também

Willian questiona atraso no repasse de recursos para ONGs de Sumaré

O presidente da Câmara de Sumaré, Willian Souza (PT), cobrou informações sobre o atraso no ...