Hortolândia participa de mapeamento e diagnóstico para projeto regional

Consimares avaliará processo para desenvolver proposta de centrais de tratamento de reciclagem e compostagem

A coleta seletiva de resíduos recicláveis em Hortolândia contribuirá para o desenvolvimento de um importante projeto ambiental que pode ser implantado na região: uma central de tratamento de reciclagem e compostagem de resíduos. Esta foi a pauta da reunião de segunda-feira (22), entre o Consimares (Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos) e a prefeitura.
No encontro, realizado online em virtude da pandemia do coronavírus, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável forneceu informações sobre a coleta seletiva porta a porta para a empresa de consultoria Arkhê Relações Sustentáveis, contratada pelo consórcio.
A partir dos dados recebidos, a empresa fará o mapeamento e o diagnóstico sobre o serviço executado no município pela prefeitura. O mapeamento e o diagnóstico serão utilizados no projeto de implantação de uma central de tratamento de reciclagem e compostagem de resíduos pelo consórcio. Além de Hortolândia, os demais municípios que integram o consórcio (Sumaré, Monte Mor, Nova Odessa, Santa Bárbara d’Oeste, Capivari e Elias Fausto) também participarão do mapeamento.
“A reunião foi de grande relevância, uma vez que o município busca projetos e parcerias que ofereçam alternativas na questão ambiental que estejam alinhadas com a estratégia da Prefeitura de criar uma cidade inteligente e sustentável”, destaca a secretária-adjunta de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Eliane Nascimento Oliveira.

COLETA SELETIVA
Atualmente, a Prefeitura de Hortolândia executa o serviço de coleta seletiva porta a porta de resíduos recicláveis, de segunda a sexta-feira, em 32 dos 114 bairros do município. A prefeitura implantou o serviço em 2018. Em 2020, foram recolhidas cerca de 116 toneladas de materiais recicláveis. Já em 2019, o serviço recolheu cerca de 375 toneladas de materiais reaproveitáveis.
A coleta seletiva é importante por trazer melhor qualidade de vida para a população. O serviço também representa economia, uma vez que o município poupa recursos ao evitar o transporte e o aterramento dos resíduos.
O material recolhido via coleta seletiva é encaminhado para a Cooperativa Águia de Ouro, parceira da prefeitura. Fundada em 2001, a cooperativa reúne atualmente 23 cooperados, pessoas entre 29 e 65 anos de idade, em situação de vulnerabilidade social. Com o que a cooperativa arrecada com a coleta, triagem e venda de recicláveis, cada cooperado ganha de R$ 1.180 a R$ 1,5 mil por mês.
Nas regiões onde a coleta seletiva porta a porta não é realizada, a população pode fazer o descarte correto de resíduos nos PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de entulho e outros materiais recicláveis) e LEVs (Locais de Entrega Voluntária de Recicláveis) existentes na cidade.

Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021

Veja Também

Hortolândia recebeu 2,3 mil quilos em doações

Hortolândia arrecadou 2,35 toneladas de alimentos na terceira edição da iniciativa. A coleta dos mantimentos ...