Agentes penitenciários encontram K4 em sola de tênis no Complexo Campinas-Hortolândia

Calçado foi enviado pelos Correios por pai de sentenciado; unidade prisional instaurou procedimento disciplinar para investigar o caso

Mais uma vez, agentes de segurança penitenciária frustraram a entrega de entorpecentes, por meio dos Correios, no Complexo Campinas-Hortolândia. Desta vez, a interceptação ocorreu no CPP (Centro de Progressão Penitenciária) Profº Ataliba Nogueira, em Campinas. Os funcionários da unidade encontraram oito tiras de papel contendo droga sintética, conhecida como K4, escondidas na sola de um tênis. O calçado teria sido enviado por Sedex pelo pai de um sentenciado. O entorpecente apreendido foi levado à 8ª Delegacia Seccional de Campinas. A unidade prisional instaurou procedimento disciplinar para investigar o caso. A SAP (Secretaria Estadual da Administração Penitenciária) tem enfatizado a tolerância zero na entrada de ilícitos nas unidades prisionais.
Segundo especialistas, o entorpecente sintético é 100 vezes mais potente do que a maconha normal. Produzida em laboratório na forma líquida, a droga é borrifada em papeis, selos entre outros. Bem diferente da maconha natural, que é sedativa, a K4 funciona como estimulante e inclusive pode deixar os usuários mais agressivos. O primeiro registro desse entorpecente ocorreu em 2017, em Presidente Bernardes, e atualmente já se espalhou em quase todas as unidades prisionais paulistas.

OUTRA APREENSÃO
No último domingo (21), a companheira de um preso foi flagrada com um aparelho microcelular escondido em suas partes íntimas, na Penitenciária Odete Campos Leite Critter, a P2 de Hortolândia, que também faz parte do complexo. Agentes penitenciários informaram que a suspeita demonstrou nervosismo no momento de passar pelo scanner corporal, durante a revista de rotina no interior da unidade.
A visitante foi encaminhada ao Plantão Policial, juntamente com o eletrônico apreendido. A mulher foi liberada após prestar depoimento. A unidade prisional instaurou procedimento disciplinar contra o preso. A SAP enfatizou que as pessoas flagradas tentando entrar no ambiente prisional com materiais proibidos são suspensas do rol de visitas, temporariamente.
O telefone encontrado com a mulher tem apenas seis centímetros. Apenas faz ligações e recebe SMS. É fabricado na China, mas não tem homologação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Esses aparelhos são encontrados facilmente em sites de venda na internet pelo um preço médio de R$ 230.

Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021

Veja Também

Garoto faz aniversário e recebe visita da GCM

A GCM (Guarda Civil Municipal) realizou um trabalho bem diferente dos patrulhamentos e abordagens realizados ...