REGIÃO METROPOLITANA ‘Ocupação de leitos de UTI é compatível com a fase vermelha’, diz infectologista

Observatório PUC-Campinas revela que número de novos casos e mortes diminui, mas ocupação de leitos intensivos permanece acima de 80%

A RMC (Região Metropolitana de Campinas) encerrou a 7ª Semana Epidemiológica (14 a 20 de fevereiro) com queda de 5,9% nos casos e 8,2% nas mortes por Covid-19. Contudo, de acordo com análise do infectologista André Giglio Bueno, divulgada nesta segunda-feira (22) em nota técnica do Observatório PUC-Campinas, a situação dos serviços de saúde – que continua com taxa de ocupação de leitos de UTI acima dos 80% – é compatível com a fase vermelha.
“Neste ponto é interessante ressaltar a distorção entre a classificação da região, atualmente na fase amarela do Plano São Paulo, e a realidade vivida em âmbito regional. Aliado ao crescimento na taxa de ocupação dos leitos de UTI, há um contexto extremamente preocupante de possível circulação de novas variantes mais transmissíveis”, alerta o professor, que defende a adoção de medidas mais restritivas.
“Seria essencial, além dos esforços para aumentar a capacidade do sistema de saúde, promover ações capazes de diminuir a circulação do vírus, basicamente com medidas para reduzir e evitar circulação de pessoas e aglomerações, além de assistência, testagem ágil e isolamento rígido de todos os suspeitos”, conclui Giglio.
Em relação à última semana, a RMC apresentou quedas de 5,9% nos casos e 8,2% nas mortes, que resultaram nas 4,7 mil novas infecções e 112 óbitos notificados. Contudo, o DRS-Campinas, embora também tenha manifestado um comportamento de queda, registrou aumento de quase 12% nas internações de pacientes suspeitos ou confirmados por coronavírus.
Do ponto de vista econômico, segue a expectativa pela vacina e imunização da população, vistas como solução definitiva para o fim das restrições impostas às atividades econômicas. Enquanto isso, o economista Paulo Oliveira, que coordena as análises relativas à Covid-19 no Observatório PUC-Campinas, afirma que medidas de proteção da renda e do emprego devem ser tomadas. A reativação do auxílio emergencial está sendo discutida no governo. “Sem essas medidas, diante do cenário econômico e social atual, os efeitos da pandemia podem ser devastadores para a economia brasileira, e consequentemente para a economia regional nos próximos meses”, avalia o professor extensionista. Os dados atualizados da Covid-19 nos municípios paulistas, incluindo a RMC, podem ser obtidos no Painel Interativo do Observatório: https://observatorio.puc-campinas.edu.br/covid-19/.

Campinas endurece regras a partir desta terça-feira
Campinas adota, a partir desta terça (23), regras da fase vermelha entre 21h a 5h. Durante este horário, apenas serviços essenciais poderão funcionar: farmácias, mercados, padarias, açougues, postos de combustíveis, lavanderias, meios de transporte coletivo; transportadoras, oficinas de veículos, hotéis, pousadas e outros serviços de hotelaria e pet shops. O anúncio foi feito nesta segunda pelo prefeito Dário Saadi (Republicanos). As medidas valem até 1º de março.
Restaurantes só poderão funcionar presencialmente até as 21h. Já os bares terão que encerrar as atividades até as 20h. Nos dois casos, além do horário permitido, os estabelecimentos poderão trabalhar apenas no sistema delivery e retirada, sem consumo local. O funcionamento dos shoppings também deve se encerrar às 21h. O mesmo vale para serviços como academias, clubes, parques públicos, salões de beleza e similares e atividades presenciais em instituições de ensino. Embora considerado um serviço essencial, as igrejas também terão que encerrar suas atividades às 21h.
Das 5h01 às 20h59, permanece em vigor na cidade a fase amarela, que permite 40% de ocupação em academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, concessionárias, escritórios, e parques públicos, com expediente de até 10 horas diárias para restaurantes e 12h para as demais. O horário de funcionamento não poderá exceder as 20h para bares e 21h para os demais serviços.

Terça-feira, 23 de Fevereiro de 2021

Veja Também

Retorno de aulas presenciais em Nova Odessa também é adiado para abril

Município acompanhou a decisão de outras cidades da RMC e estabeleceu nova data para ‘abertura’ ...