Em meio a pandemia, escolas estaduais passam a contar com psicólogos

Governo de São Paulo contratou mil profissionais para o atendimento de alunos, professores e dos demais funcionários da rede estadual de ensino

As escolas estaduais de São Paulo passaram a contar com psicólogos. O anúncio foi feito na última quarta-feira (17) pelo governador João Doria (PSDB). Segundo ele, o programa “Psicólogos na Educação” estará presente nas 5,1 mil escolas sob gestão do Estado, nos 645 municípios paulistas. Um total de mil psicólogos está à disposição para atendimento a alunos, professores e demais profissionais da rede estadual. As sessões já podem ser agendadas.
“O atendimento será feito de maneiras virtual e presencial e o objetivo é contribuir para a melhoria da convivência e do ambiente escolar. Todas as escolas da rede estadual serão beneficiadas”, explicou o governador João Doria.
Com investimento de cerca de R$ 5 milhões mensais, o novo programa prevê um pacote de 40 mil horas semanais, o equivalente a 160 mil horas mensais de acompanhamento psicológico. Cada escola terá à disposição entre duas e 20 horas semanais de atendimento com um psicólogo, dependendo da demanda de cada local.
A definição da carga horária levará em conta fatores como o número de alunos, de turnos e de ocorrências registradas em cada escola. Os atendimentos poderão ocorrer por meio de videochamadas e o agendamento está sendo feito por diretores, vice-diretores e professores coordenadores, na Secretaria Escolar Digital (https://sed.educacao.sp.gov.br).
“Será fundamental ter essa equipe de psicólogos para apoiar na saúde emocional de nossos profissionais da educação, o que deve refletir diretamente no avanço da aprendizagem de nossos estudantes”, destacou o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares.

ATUAÇÃO PRÁTICA
Os psicólogos com experiência na área da educação vão receber formação para apoiar o desenvolvimento das ações do Conviva-SP (Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar) e o trabalho pedagógico das equipes escolares no desenvolvimento das competências cognitivas e socioemocionais dos estudantes da rede estadual.
Eles também ficarão responsáveis por orientar gestores e coordenadores sobre eventuais sinais passíveis de identificação de traumas e abusos entre os alunos, além de conduzir testes e ferramentas psicológicas, conforme planejamento de cada escola.
A prioridade é que os psicólogos atuem em atividades coletivas que contribuam para a melhora de todo o ambiente escolar. O serviço está sendo prestado pela empresa Psicologia Viva.
As equipes das diretorias de Ensino e da Secretaria Estadual de Educação vão fazer o monitoramento e avaliação da atuação dos psicólogos e da melhoria do convívio escolar na rede pública.

Domingo, 21 de Fevereiro de 2021

Veja Também

Estado cria duas novas salas para ensino noturno

O dirigente regional de Ensino de Americana, Haroldo Ramos Teixeira, esteve na sessão da Câmara ...