Mortes por atropelamento diminuem 50% em Sumaré e N. Odessa em 2020

AutoBAn aposta em passarelas e campanhas de conscientização para reduzir número de acidentes e óbitos nas rodovias

Na noite de domingo passado (14), uma mulher de 39 anos morreu atropelada no quilômetro 110 da Rodovia Anhanguera. Ela voltava para casa com o marido, que resolveu parar no acostamento para socorrer jovens envolvidos em um capotamento. A vítima foi atingida quando atravessava a rodovia. Apesar da tragédia registrada na semana passada, o número de mortes por atropelamento nos trechos entre Sumaré e Nova Odessa das rodovias Anhanguera e Bandeirantes caiu 50% no ano passado, segundo dados da CCR AutoBAn, empresa que administra o sistema.
De acordo com informações da concessionária, foram registrados dois óbitos no ano passado, contra quatro no ano anterior. O volume de acidentes também diminuiu. Foram nove ocorrências em 2020 e dez em 2019 – queda de 10%.
A redução pode estar associada a investimentos da concessionária em obras e ações para ampliar a segurança nas rodovias. Desde que assumiu a gestão do Sistema Anhanguera-Bandeirantes, a AutoBAn afirma já ter construído 28 passarelas para travessia de pedestres e ter recuperado outras 26. A maior parte delas está na Anhanguera, que passa por trechos com maior concentração urbana.
Outra medida adotada pela empresa são campanhas de conscientização. No último dia 10, profissionais da concessionária realizaram uma ação de incentivo ao uso de passarelas, na altura do quilômetro 113 da Anhanguera, em Sumaré. Eles distribuíram folhetos e conversaram com pedestres e ciclistas sobre os riscos de atravessar a rodovia e visitaram estabelecimentos comerciais nas margens da rodovia para o esclarecimento de dúvidas.
Moradora da região do Jardim Dall’Orto, a técnica em enfermagem Elza Ferreira da Silva Reis afirma que usa a passarela do Km 113 da Rodovia Anhanguera com pouca frequência, mas defende o uso dos dispositivos. “As pessoas deixam de usar a passarela para se arriscarem na rodovia. Às vezes, perdem a vida por causa de um minuto. Passou da hora de todos se conscientizarem e fazer a travessia com total segurança”, afirmou Elza.
Quando foi abordado pela reportagem do Tribuna Liberal, o desempregado Valder Alexandre de Souza atravessava a passarela da Anhanguera na altura do distrito de Nova Veneza, em Sumaré, empurrando sua bicicleta. “As passarelas são muito importantes, principalmente nesses trechos onde há muitos bairros dos dois lados. Aqui nessa região, não temos do que reclamar, pois Sumaré está bem servida de passarelas, mas tem lugar que não tem”, disse ele.
A líder de logística Andressa Silva garante que só atravessa usando a passarela. No entanto, faz uma crítica à manutenção das estruturas. “É preciso ter mais atenção com a iluminação e a roçagem do mato no entorno das passarelas. Aqui, por exemplo [passarela na entrada do distrito de Nova Veneza], é complicado passar à noite, é muito escuro. Esse tipo de condição, muitas vezes, inibem o uso da passarela”, avaliou a sumareense.

CONFIRA ALGUMAS DAS DICAS DE SEGURANÇA
• Caminhar nas margens da rodovia é perigoso
• Faça sua caminhada em locais em que o movimento de veículos não ofereça riscos
• Nas pistas marginais, caminhe sempre na calçada e de frente para o sentido do tráfego. Vista roupas claras e visíveis;
• Fique esperto! Praticar esportes como ciclismo, caminhada ou corrida é muito importante para a saúde. Procure locais apropriados como parques, bosques ou centros esportivos para se exercitar;
• Atravessar a rodovia somente pelas passarelas ou viadutos com calçada
• Cuidado especial com as crianças! Brincar com bolas e pipas às margens das rodovias e vias marginais coloca em risco as crianças. Cuide do nosso maior bem!
Fonte: CCR AutoBAn

Domingo, 21 de Fevereiro de 2021

Veja Também

Mais duas toneladas de criadouros do Aedes são retiradas do Jd. Santa Luiza

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Nova Odessa retirou do Jardim Santa Luiza, durante ...