Comércio da RMC deve faturar 32,5% a mais na Páscoa, diz Acic

Embora ainda sofrendo com o horário reduzido do comércio, o aumento do desemprego e as incertezas do rumo da economia devido à pandemia da Covid-19 que ainda impactam as vendas do varejo, as perspectivas para a Páscoa de 2021 são de um crescimento de 32,5% no faturamento, com vendas estimadas em R$ 354 milhões na RMC (Região Metropolitana de Campinas) e podendo chegar a R$ 175 milhões apenas no município sede.
Apesar da perda do poder de compra, o ticket médio deverá ser de R$ 110, cerca de 10% acima de 2020. No ano passado, a Páscoa ocorreu no dia 12 de abril, no início da pandemia, zerando as contratações temporárias e reduzindo o volume de vendas em 50%, na RMC, na comparação com a Páscoa de 2019, quando o faturamento das vendas atingiu R$ 533 milhões. Em 2020, foram faturados somente R$ 267 milhões.
O economista Laerte Martins, diretor da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas), no entanto, lembra que, se comparada a expectativa de faturamento em 2021 (R$ 354 milhões) com as vendas registradas na Páscoa de 2019 – portanto antes da pandemia – a queda é de 33,6% no faturamento do comércio varejista.
Além disso, a perspectiva de contratação da mão de obra temporária este ano é ainda muito baixa. Estima-se que, no período da Páscoa, a contratação de temporários deve ser de 550 vagas, que representam somente 10% das 5,5 mil contratações previstas em condições normais, sem o efeito da Covid-19.

Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2021

Veja Também

Comitê volta a se reunir para analisar pandemia e atualizar ações em Sumaré

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus da Prefeitura de Sumaré voltou a se ...