A importância das lives como forma de entretenimento

Como forma de entretenimento, as famosas lives ocuparam um papel importante na vida dos brasileiros durante o confinamento. Ponto positivo para as lives é que trouxeram visibilidade para artistas desconhecidos e, com isso, 10% da população descobriu novos artistas, como mostra o levantamento Panorama Cultural do Brasil, da Hibou, empresa de pesquisa e monitoramento de mercado e consumo, em parceria com o Hub Cultural.
O formato das lives foi o caminho encontrado pelo cantor Luiz Gustavo, de Sumaré. “Quando a pandemia chegou, conseguimos remarcar algumas festas e casamentos, mas todas as apresentações em casas noturnas foram canceladas e aí bateu o desespero. Partimos para as lives primeiramente para arrecadar alimentos para quem precisava. Conseguimos arrecadar mais de 30 cestas básicas, tanto para músicos quanto para garçons”, lembra. Depois, o cantor passou a fazer lives com o parceiro Rafael, com quem faz dupla há mais de 17 anos, para compensar os seus shows que foram cancelados.
Assim como para muitos artistas, 2020 foi o pior ano na carreira de Luiz Gustavo. Ele precisou se reinventar e se superar. “Hoje estamos voltando aos poucos. O movimento ainda é bem tímido, algumas casas de show fecharam, mas aos poucos estamos retomando”, afirma. “Esperamos que, com a vacina, tudo volte ao normal”, acrescenta.

AS LIVES
• 36% da população já cansou de acompanhá-las
• 12% as assistiu e não gostou
• 39% não se familiariza com o formato
• 13% passou a gostar e acompanhar sempre

Domingo, 24 de Janeiro de 2021

Veja Também

Estado cria duas novas salas para ensino noturno

O dirigente regional de Ensino de Americana, Haroldo Ramos Teixeira, esteve na sessão da Câmara ...