Governo do estado inicia vacinação contra coronavírus no interior paulista

A partir de hoje, vacinas e insumos serão enviados a polos regionais para redistribuição às prefeituras

A primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 do interior de São Paulo é a técnica de Enfermagem do Hospital de Clínicas da Unicamp. Liane Santana Mascarenhas Tinoco nasceu em 1971 em Itaberaba, Bahia. Moradora de Campinas há 16 anos, trabalha no HC desde 2010. Liane atua na enfermaria específica para casos de coronavírus desde o início da pandemia, ajudando a salvar vidas.
Casada e sem filhos, se sente muito otimista e esperançosa com a vacina. “Desde o começo, o desconhecimento gerou medo e insegurança, mas busquei forças e fui em frente. Agora estou vacinada”, relata Liane, já com seu comprovante de vacinação.
O HC de Campinas foi o primeiro hospital do interior a iniciar a vacinação de seus profissionais. As doses da vacina do Instituto Butantan, que começaram a ser aplicadas na tarde de ontem, saíram da capital paulista às 8h. Por volta das 15h30 a equipe já estava preparada para vacinar os primeiros profissionais que atuam na unidade. O HC recebeu quatro mil doses.
A distribuição das vacinas, seringas e agulhas para o interior também começou nesta segunda-feira (18/01) para cinco hospitais-escola do interior: os Hospitais das Clínicas de Campinas, Botucatu, Ribeirão Preto, Marília e o Hospital de Base de São José do Rio Preto. No total, cerca de 60 mil profissionais que atuam nesses hospitais serão imunizados contra a COVID-19.
A campanha de imunização no estado de São Paulo começou ainda no domingo (17/01), minutos após aprovação do uso da vacina do Instituto Butantan pela Anvisa. Somente ontem foram vacinadas 112 pessoas, incluindo a primeira brasileira a ser vacinada no país: a enfermeira Mônica Calazans, da UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas.
“As vacinas e insumos chegaram ao HC de Campinas no final desta manhã (18/01) e agora já temos os primeiros vacinados do interior. Isso é fruto do planejamento e compromisso com a missão de salvar vidas”, afirma a coordenadora de Controle de Doenças, Regiane de Paula.
A partir de hoje (19/01), grades de vacinas e insumos também serão enviadas a polos regionais para redistribuição às prefeituras, com recomendação de prioridade a profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia. Os municípios também deverão imunizar a população indígena com apoio de equipes da atenção primária do SUS, segundo as estratégias adequadas ao cenário local.

Prefeituras da região confirmam 10 óbitos
As cidades da região (Sumaré, Hortolândia, Paulínia, Mor e Nova Odessa) têm 712 óbitos e 25.388 casos confirmados de Covid-19.
Nesta segunda-feira (18/01), Sumaré registrou mais quatro óbitos, Hortolândia registrou três novas mortes, Paulínia mais dois óbitos e Monte Mor um novo óbito causado pela doença.
Em Sumaré, já são 8.959 casos da doença e 304 óbitos. Hortolândia tem 6.802 e 194 mortes e em Paulínia são 5.663 casos e 96 óbitos. Nova Odessa acumula 2.039 casos da doença e 68 mortes. Monte Mor tem 2.026 casos confirmados e 50 óbitos.

Terça-feira, 19 de Janeiro de 2021

Veja Também

Municípios se preparam para alta no índice de atendimentos e internações

Prefeituras ampliam capacidade de atendimento em unidades de saúde e se organizam para eventual elevação ...