Entrevista com Fernanda D’Ávila

Em paralelo ao Domingão do Faustão, você já tinha um trabalho forte nas redes sociais como influenciadora relacionada ao tema de saúde, vida fitness e tal. Como está sua vida profissional hoje? Mudou alguma coisa?
Fernanda:
Hoje, sou embaixadora de uma das grandes marcas de suplementação do Brasil e busco cada vez mais levar saúde e bem estar para as pessoas, através das minhas redes sociais. Também continuo trabalhando como modelo e influenciadora.
Além de representar outras marcas, sou CEO de um Programa de Emagrecimento rápido e estratégico, no qual desenvolvi um método juntamente com minha equipe multidisciplinar (nutricionistas e educadores físicos) e que, por meio de um acompanhamento diferenciado, já consegui ajudar centenas de pessoas a emagrecerem.
Antigamente, somente publicava fotos mostrando os meus resultados. Atualmente, ajudo a transformar vidas. Sou formada em fisioterapia e estou realizando uma formação profissional em Coaching para que, em breve, possa continuar ajudando ainda mais pessoas.
“Na minha jornada, aprendi que não dá para mostrar somente o resultado através de fotos ou vídeos. Hoje, entendo que o meu principal objetivo/propósito é mostrar o caminho para que as pessoas também possam chegar lá.” É por isso que venho trazendo muito conteúdo direcionado nas minhas redes sociais.

Como é a vida de uma influenciadora com mais de 1 milhão de seguidores? Quais os lados positivos e negativos dessa exposição e responsabilidade?
Me preocupo cada vez mais em gerar um conteúdo de valor, tanto através da minha rede principal, como também pelos outros perfis que possuo (viagem, programa de emagrecimento…). Entendo que todos nós temos responsabilidade quanto à propagação de informações nas redes sociais.
Lado positivo: Consigo trabalhar com o que me faz feliz de qualquer lugar do mundo. Além disso, todo o conteúdo gerado na minha rede social pode ser alcançado por muito mais pessoas. Com isso, tenho seguidores do mundo inteiro. Tanto é que, durante as minhas viagens internacionais, consegui ter reconhecimento e carinho por onde passei.
Lado negativo: Em algumas ocasiões, algumas pessoas que não acompanham o meu trabalho fazem julgamentos sem embasamento.

E sua vida familiar, como está?
Continuo casada, curtindo bastante a minha família. A pandemia nos deu a oportunidade de estarmos ainda mais juntos.

Quando você olha pra trás e lembra do tempo como bailarina do Faustão, quais aprendizados acha que levou para a sua vida depois de sair do Balé?
A oportunidade que eu tive no Faustão foi única. Sou muito grata por todo o aprendizado e momentos incríveis ao lado do Faustão. A cada domingão, ao vivo ou gravado, adquiri uma experiência nova, venci barreiras sobre timidez e, a cada ano fui crescendo, tanto no âmbito pessoal quanto profissional.
O Faustão é uma pessoa que sabe reconhecer e enaltecer todo o trabalho desenvolvido. Sou muito grata por todo carinho, atenção e exposição que o Domingão do Faustão me proporcionou.
Dentro do programa, participei de muitos quadros. Já ganhei um carro no quadro chamado ‘Sufoco’, participei da Dança dos Famosos com o modelo Paulo Zulu, fui repórter do site do Faustão e da plateia. Encerrei minha carreira no Domingão dividindo palco com o Faustão apresentando ações comercias ao vivo. Ele foi um grande patrão e sou muito grata por todas as oportunidades. Ele sempre será meu ídolo! Ele é fera no que faz, me ajudou a descobrir um talento que nem eu sabia que seria capaz. Nunca imaginei que poderia um dia ser apresentadora e muito menos estar dividindo placo ao lado do melhor apresentador do Brasil. Sou grata e fã.

Qual a importância de ter passado pelo Domingão?
Fazer parte do Domingão durante oito anos foi essencial para minha carreira e para as minhas conquistas.
Eu não aprendi somente coreografias. A cada reunião, quadros, melhores do ano, eu aprendia sobre iluminação, tecnologia, direção, organização, trabalho em equipe, sempre observando os bastidores, pois sou curiosa e gostava muito de aprender sobre tudo.
E todo esse aprendizado serviu para que hoje eu pudesse ter total entendimento do meu posicionamento de câmeras, de luz, fotografia, postura, desenvoltura ao falar, entre vários outros detalhes que fizeram com que eu desenvolvesse cada vez mais o meu lado profissional.
As oportunidades de entrevistar e de estar ao lado de grandes nomes da TV brasileira, fizeram com que eu tivesse mais segurança e credibilidade por onde eu passasse. Tenho muito orgulho de dizer que fui bailarina do Faustão!
A minha experiência dentro do domingão serviu também para que eu pudesse ser apresentadora de grandes espetáculos, como carnaval e reveillon de Salvador, além de ter sido apresentadora de um dos grandes eventos do cantor Wesley safadão. Muitas horas de transmissão ao vivo para internet, durante a minha jornada como apresentadora.

Se recebesse um convite para voltar à TV, voltaria?
Após a minha saída do Domingão do Faustão, viajei pelo mundo, conhecendo muitos países e aprendendo com cada um deles.
Estive em Hollywood, Las Vegas, Nova Iorque, Londres, Paris, Ibiza, Cancún, Bahamas, Miami, Orlando, Chile…. Durante muitos anos, consegui aproveitar e tive o prazer de desfrutar de novos lugares.
Por isso, voltaria se fosse algo relacionado à saúde, bem estar, lazer, viagem… Algo onde eu pudesse viajar e conhecer novos lugares, novas culturas. Isso me proporcionaria uma realização pessoal.

Ainda mora no Brasil? Se tiver qualquer novidade ou mudança na sua vida nesse meio tempo, só falar.
Eu tenho residência no Brasil. Com a pandemia, fiquei impossibilitada de viajar. Já estava com planos de morar em Miami, mas o cenário atual me fez adiar esses planos.
Porém, será um futuro próximo. Assim que tudo isso passar, já estarei alinhando para mais uma mudança na minha vida.
Hoje, sou empresária, além de continuar trabalhando com moda fitness, beleza e saúde.
Instagram: @davilafernanda

Sábado, 16 de Janeiro de 2021

Veja Também

PCJ sugere reservatório pré-fabricado para garantir água durante a estiagem

Em alerta emitido nesta segunda, consórcio também recomendou a municípios estímulo a cisternas e campanhas ...