Estado reclassifica Plano São Paulo e região permanece na Fase Amarela

As restrições de atividades passam a ter grandes mudanças e começam a valer a partir de segunda-feira, dia 11 de janeiro

As cidades da região (Sumaré. Hortolândia, Paulínia, Monte e Nova Odessa) irão permanecer na Fase Amarela do Plano São Paulo. A reclassificação das fases foi anunciada nesta sexta- -feira (08/01), em entrevista coletiva à imprensa no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, com os secretários estaduais de Saúde, Jean Gorinchteyn, Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, e os diretores do Centro de Contingência, Paulo Menezes e João Gabbardo.
O Secretário Marco Vinholi informou ainda que a próxima atualização do Plano SP ocorrerá em 5 de fevereiro.
O Secretário de Saúde do estado, Jean Gorinchteyn, alertou que houve um recrudescimento da pandemia em todo o estado, a despeito da colaboração da maioria da população, que respeitou as regras sanitárias em vigor.
A taxa de ocupação de leitos de UTI subiu para 63,3% no estado. Há 5.060 pessoas internadas nas unidades intensivas. São Paulo contabiliza 1,5 milhão de casos de Covid-19 neste momento.
Em relação à semana epidemiológica anterior, constatou-se aumento de 30% de novos casos de Covid-19. As internações tiveram incremento de 8,2%, enquanto a taxa de óbitos subiu 34% ante a semana anterior.
Mais de 1,3 milhão de pessoas já estão recuperadas da Covid-19 no estado; o número de pacientes internados atualmente é de 12.213.
Frente a este aumento nos índices da doença, o Centro de Contingência revisou o Plano SP no sentido de endurecer a possibilidade de flexibilização da quarentena. Agora, na 17ª classificação do Plano, 90% da população fica na fase amarela e 10% na fase laranja, mais restritiva.
O centro de contingência entendeu que deve aumentar as restrições para conter o aumento de casos. Deste modo, 13 regiões do estado permanecem na fase amarela e 4 regiões na fase laranja.

MUDANÇAS
As restrições de atividades têm grandes mudanças nesta reclassificação, que passa a valer na próxima segunda-feira (11/01). Academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros e parques estaduais passam a poder funcionar na fase laranja. Todas as atividades liberadas podem funcionar por até oito horas diárias, e não mais apenas quatro, e a capacidade de público também sobe de 20% para 40%. Porém, todos os estabelecimentos devem encerrar o atendimento presencial às 20h. O consumo local em bares está totalmente proibido.
A fase amarela passará a permitir 40% de ocupação presencial para todas as atividades liberadas, incluindo parques estaduais, e expediente de até dez horas diárias. O atendimento presencial terá que ser encerrado às 22h em todos os setores. Nos bares, as portas devem fechar ao público mais cedo, às 20h. Atividades não essenciais que geram aglomeração, como festas, baladas e shows continuam proibidos.

Mudanças nos critérios de saúde
Os novos critérios de avaliação de indicadores de internações, ocupação de leitos e mortes por Covid-19 levou o governo estadual endurecer a possibilidade de progressão de qualquer região novamente à fase verde, que permite a maioria das atividades não essenciais com menos restrições de horário e público. Cada região passa a precisar alcançar 30 internações por 100 mil habitantes e três mortes por cem mil habitantes nos últimos 14 dias, além de passar 28 dias seguidos na fase amarela antes de avançar.
Os critérios de saúde na fase laranja também ficam mais rígidos. O limite máximo da taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para Covid-19 passa de 75% para 70% em cada região. Também há mudanças nos indicadores de variação para casos, mortes e internações, com parâmetros para todas as fases do Plano São Paulo. Se a ocupação de UTIs superar 80%, poderá haver recuo para a fase vermelha, com fechamento de atividades.

Sábado, 9 de Janeiro de 2021

Veja Também

Lei que prevê desconto em caso de falta d’água está em vigor em Sumaré

Pela nova lei, morador que ficar por mais de seis horas sem água tem direito ...