Lâmpadas incandescentes devem ser retiradas do mercado brasileiro até 2016 (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Conta de luz fica mais cara em dezembro, determina Agência

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) reativou o sistema de bandeira tarifárias e definiu a bandeira vermelha patamar 2 para o mês de dezembro, a mais alta, com custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts hora consumidos. Em maio deste ano, em razão da pandemia de Covid-19, a Agência havia decidido manter a bandeira verde acionada até 31 de dezembro deste ano.
Entretanto, em reunião extraordinária no dia 30/11, a diretoria do órgão avaliou que a queda no nível de armazenamento dos reservatórios das usinas hidrelétricas e a retomada do consumo de energia justificavam o aumento.
O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 como forma de recompor os gastos extras com a utilização de energia de usinas termelétricas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. A cor da bandeira é impressa na conta de luz (vermelha, amarela ou verde) e indica o custo da energia em função das condições de geração.
Quando chove menos, por exemplo, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais termelétricas para garantir o suprimento de energia no país. Segundo a Aneel, a bandeira tarifária não é um custo extra na conta de luz, mas uma forma diferente de apresentar um valor que já está na conta de energia, mas que geralmente passa despercebido.

Quarta-feira, 2 de Dezembro de 2020

Veja Também

AEAS segue com capacitações online e quer maior conexão com associados

Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Sumaré já trabalha em um calendário de eventos para ...