Por maior ‘controle’ da Covid, Estado põe a região de volta na ‘fase amarela’

Reclassificação “não fecha setores e fortalece restrição a aglomerações”; indicadores de Saúde terão agora análises semanais

Na data originalmente prevista para a revisão mensal, mas apenas um dia após o 2º turno das Eleições Municipais nas maiores cidades paulistas, o governador João Doria (PSDB) anunciou na segunda-feira (30/11) que “todas as regiões do Estado retornam à fase amarela do Plano São Paulo de controle sanitário e flexibilização econômica até o dia 04 de janeiro”. A medida vale a partir desta quarta-feira, 02 de dezembro.
A medida após vários alertas de médicos e especialistas de que o ritmo da pandemia havia voltado a aumentar no Estado e no Brasil, vem como um “reforço em ações de enfrentamento da pandemia (de Covid-19) em São Paulo” e visa “reduzir o contágio e evitar pressão sobre o Sistema de Saúde”, afetando as seis regiões que estavam na “fase verde”.
As 42 cidades atendidas pelo DRS 7 (Departamento Regional de Saúde de Campinas, incluindo Sumaré, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa e Paulínia), por exemplo, haviam avançado à “fase verde”, a segunda menos restritiva do Plano, no último dia 10 de outubro, com ampliação das atividades e dos horários de funcionamento de diversos setores. No dia 16 de novembro, o Governo havia decidido adiar nova reclassificação devido a instabilidades de dados do Ministério da Saúde.
Agora, com o recuo à “fase amarela”, cai de 60% para 40% a lotação máxima de clientes de todos os setores – incluindo lojas, bares e restaurantes, por exemplo. O horário de funcionamento também fica limitado a dez horas diárias, e apenas até às 22h. Eventos com público em pé voltam a ser totalmente proibidos.
“É uma medida de prudência que estamos tomando para melhorar o controle da pandemia. Precisamos do apoio da população e de micros, pequenos, médios e grandes empresários. E o contínuo apoio dos verdadeiros heróis que são os profissionais de Saúde que, em São Paulo, já ajudaram a salvar milhares de vidas e continuarão a fazê-lo”, disse Doria ontem.
Segundo o Governo, a decisão recebeu aval de médicos especialistas do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo. “A medida não fecha setores econômicos em nenhuma das 645 cidades paulistas, mas fortalece ações de restrição a aglomerações”, ressaltou a gestão estadual.
“Com o regresso geral para a terceira das cinco fases do Plano São Paulo, atividades como bares, restaurantes, academias, salões de beleza, shoppings, escritórios, concessionárias e comércios de rua voltam a ter limitações de horário e capacidade de público. O atendimento presencial em todos os setores fica restrito a dez horas diárias, sequenciais ou fracionadas, e 40% de capacidade. Os estabelecimentos terão que fechar o atendimento local até as 22h. Todos os eventos com público em pé estão proibidos na fase amarela”, ressaltou a nota.
Outra “medida de prudência” do Estado é a redução do prazo de análise dos dados da pandemia e capacidade de atendimento hospitalar por região. A medição de médias móveis de casos, mortes e taxas de internação de pacientes com Covid-19 passa a ser considerada em intervalos de sete dias, e não mais a cada quatro semanas.
“A decisão desta segunda-feira não altera a programação de volta às aulas da Secretaria de Estado da Educação. Tampouco há previsão novo fechamento de escolas para aulas presenciais com limitação de alunos por turmas e turnos”, incluiu o Estado.
“Os dados dos últimos dias sustentam a necessidade de políticas mais restritivas, que reduzem aglomeração e circulação de pessoas. ‘Amarelo’ quer dizer atenção e respeito às regras sanitárias, evitando aglomerações, festas e encontros que estão levando o vírus a circular mais entre a população”, acrescentou o secretário de Saúde Jean Gorinchteyn.
O governador reforçou o apelo à população para que toda a população mantenha o engajamento e a mobilização para conter a pandemia. “Até a chegada da vacina e a imunização dos brasileiros, precisamos ter cautela e muita orientação, principalmente aos mais jovens. Por favor, evitem aglomerações, usem máscaras, lavem as mãos e compreendam que a Covid-19 não foi embora”, finalizou Doria.

O QUE MUDA NA “FASE AMARELA”
– Capacidade limitada a 40% para todos os setores;
– Funcionamento limitado a 10 horas por dia;
– Estabelecimentos podem funcionar até as 22h;
– Proibidos eventos com público em pé

Terça-feira, 1º de Dezembro de 2020

Veja Também

Lei que prevê desconto em caso de falta d’água está em vigor em Sumaré

Pela nova lei, morador que ficar por mais de seis horas sem água tem direito ...