Contra os alagamentos, Prefeitura de Sumaré mantém trabalho preventivo

Administração Municipal já executou a limpeza em mais de 5 quilômetros de extensão do Ribeirão Quilombo

Visando a prevenção de alagamentos e inundações em bairros que ficam às margens do Ribeirão Quilombo, a Prefeitura de Sumaré vem, desde 2017, intensificando as ações de limpeza do rio. Nos últimos anos, cerca de 5 quilômetros de extensão do ribeirão já recebeu os serviços de retirada dos detritos acumulados em sua calha, numa força-tarefa realizada pelas equipes da Secretaria Municipal de Serviços Públicos.
A remoção de sedimentos orgânicos e outros tipos de material acumulados com o tempo nas margens e leito do rio permite o livre fluxo das águas, evitando o transbordamento do rio.
“As ações de limpeza acontecem regularmente nos meses de estiagem, quando conseguimos trabalhar de forma segura com maquinário instalado nas margens do rio. A periodicidade nos serviços de manutenção é necessária para garantir mais fluidez ao curso d´água. A atual Administração Municipal não tem medido esforços para encontrar soluções para as situações das cheias, principalmente nas regiões mais críticas”, explicou o secretário municipal de Obras e Serviços Públicos, Aparecido Fernandes.
O trabalho é realizado de forma preventiva, melhorando a vazão da água que corre pelo rio. Com a devida autorização dos órgãos ambientais, a Prefeitura utiliza uma escavadeira hidráulica para fazer a retirada do material depositado no leito e nas cabeceiras de pontes, como restos de vegetação, móveis e até eletrodomésticos, além de entulhos descartados irregularmente por populares na beira do rio.
A desobstrução nas proximidades de passagens sobre o ribeirão evita que o acúmulo desses sedimentos crie barreiras e impeça o livre curso da água. Em 2020, a cada dia de trabalho, aproximadamente 200 metros lineares do ribeirão recebeu a limpeza. Desde 2017, toneladas de sedimentos já foram subtraídas do leito do Quilombo.
Em toda a sua extensão, o trecho Sumaré do Ribeirão Quilombo tem aproximadamente 23 quilômetros – entre a divisa com a cidade de Campinas até o limite com Nova Odessa –, passando por bairros importantes do Município e cortando toda a região central. Recentemente, a Prefeitura de Sumaré realizou a limpeza no trecho do Picerno.
Na altura do Jardim São Domingos, a retirada de sedimentos aconteceu em mais de 2,5 quilômetros de extensão do rio, beneficiando também bairros como o Campo Belo e o Jardim Primavera onde, no passado, eram comuns os registros de alagamentos.
No Matão, a ação foi realizada em 2 quilômetros do rio, melhorando o fluxo de água do Ribeirão Quilombo e do seu afluente, o Córrego Tijuco Preto, trazendo melhorias para moradores de bairros como o Jardim Minesota, Vila Diva e São Gerônimo. Já na parte central da cidade, moradores do Jardim Basilicata também puderam acompanhar o trabalho da Prefeitura, com a limpeza em mais de 350 metros do Ribeirão Quilombo.
Com a realização de todo esse trabalho, totalizando quase 5 quilômetros de limpeza na extensão do Ribeirão Quilombo, Sumaré evitou nos últimos anos que moradores de áreas de risco sofressem prejuízos causados pelas fortes chuvas.

PREVENÇÃO
Ao primeiro sinal de alerta de chuvas intensas na região, a Defesa Civil Municipal sai às ruas e coloca em prática mais uma operação. Os colaboradores estão sempre prontos para atendimento às ocorrências. “Visando oferecer um serviço cada vez mais eficiente, com mais agilidade e qualidade à população sumareense, a equipe passa por constante reciclagem e atualização profissional, com a participação em oficinas preparatórias e cursos de aperfeiçoamento”, destacou a gestão.
Nesse ano, os integrantes já participaram de atividades sobre “Segurança em Operações de Emergências em Enchentes”. A capacitação contou com instruções teóricas sobre equipamentos de proteção individual, análise de risco em ambientes inundados, equipamentos de operação em meio aquático, técnica de condução e abordagem de vítima em meio aquático, e sistemas de redução de força para transposição de materiais e vítimas.
“Esses treinamentos são muito importantes por oferecer as condições necessárias e seguras ao enfrentamento dos casos de emergência. O objetivo é sempre evitar prejuízos humanos e materiais, prestando o melhor atendimento e zelando pela vida da nossa população”, disse o superintendente da Defesa Civil de Sumaré, Demetrio Mateus Moreira.
O foco do trabalho realizado pelas equipes da Prefeitura está nas áreas de risco em regiões historicamente afetadas nos períodos mais chuvosos do ano. A Defesa Civil também faz orientações à população, em especial aos moradores da parte baixa da cidade, sobre os cuidados necessários e como proceder em situações de emergência.
“Agir de forma preventiva é sempre a melhor solução. Por isso, a Defesa Civil orienta a adoção de algumas medidas de segurança durante o período chuvoso. Vale ressaltar que, em situações de emergência, a população deve entrar em contato com a Defesa Civil Municipal pelo telefone 199, ou com o Corpo de Bombeiros, pelo 193”, finalizou a Prefeitura.

DICAS DE SEGURANÇA

  • Em casos de destelhamento, quando ocorrer ventos fortes, por exemplo, a orientação é permanecer dentro da residência e procurar abrigo para evitar ser atingido por cacos e pedaços de telha.
  • Quando as chuvas forem acompanhadas de raios, é importante não usar telefones ligados em tomadas e não ficar próximo de canos, janelas e portas metálicas. A orientação do órgão é não utilizar equipamentos ligados à rede elétrica, principalmente se estiverem molhados, pois há risco de choque elétrico e curto-circuito.
  • Durante as chuvas, é recomendável não entrar em piscinas ou lagos por conta do risco de raios e descargas elétricas. Em rios e cachoeiras, o problema é agravado pela possibilidade de tromba d’água.
  • No caso de inundações, se começar a entrar água dentro de casa, a orientação é desligar o disjuntor para evitar o risco de eletrocussão (morte por descarga elétrica). O religamento da rede só deve ocorrer depois que ela for revisada, para que não haja colapso no sistema.
  • Se chover forte, aguarde para sair de casa. Não se arrisque em enchentes e enxurradas, pois há risco de ser arrastado ou se afogar.
  • Evite trafegar em áreas de inundação ou em ruas sujeitas a alagamentos. Dirija com segurança e verifique se os faróis, lanternas e limpadores de para-brisa estão ligados. Não estacione seu veículo ou se abrigue debaixo de árvores.
  • Caso perceba fendas ou rachaduras com surgimento de minas d’água dentro de casa, entre em contato, imediatamente, com a Defesa Civil ou Corpo de Bombeiros.

Domingo, 22 de Novembro de 2020

Veja Também

Educação Ambiental na era digital: Comitês lançam na 6ª o ‘PCJ Virtual’

Projeto dos Comitês PCJ e Agência das Bacias PCJ vai mostrar as nascentes mais distantes ...