Empresas da região exportam 26,8% a menos neste ano, aponta Fiesp-Ciesp

Já as importações da regional somaram, de janeiro a setembro de 2020, US$ 7,33 bilhões, um total 11,4% menor

O relatório “Balança Comercial das Diretorias Regionais”, divulgado nesta semana pela Fiesp-Ciesp (Federação e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), aponta que as empresas da regional Campinas (que inclui Sumaré, Hortolândia e Paulínia, que são da área de cobertura do Jornal Tribuna Liberal, e outras 16 cidades) exportaram, de janeiro a setembro deste ano, US$ 1,89 bilhão – um resultado 26,8% inferior aos US$ 2,58 bilhões exportados no mesmo período do ano passado, antes da pandemia de Covid-19 e seus impactos econômicos.
Já as importações da regional somaram, de janeiro a setembro de 2020, US$ 7,33 bilhões, um total 11,4% menor que os US$ 8,28 bilhões importados pelo setor produtivo da região no mesmo período de 2019.
Assim, a “corrente do comércio exterior” (a soma das exportações e importações) da regional Campinas caiu 15,1%, para US$ 9,23 bilhões, enquanto o saldo comercial dos primeiros nove meses deste “ano da pandemia” foi novamente negativo, com um deficit de US$ 5,44 bilhões na balança comercial – ainda assim, um resultado -4,4% menor que o deficit de US$ 5,69 bilhões do mesmo período do ano passado, em função da desaceleração da Economia regional como um todo.
Segundo o relatório, os principais produtos exportados pela região foram máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos (13,2%), plásticos e suas obras (10,6%) e produtos farmacêuticos (8,8%). Por outro lado, as importações da regional se concentraram em máquinas, aparelhos e materiais elétricos (24%), produtos diversos das indústrias químicas (21,4%) e produtos químicos orgânicos (21,1%).
No período analisado, os principais destinos das exportações das empresas da região de Campinas foram Estados Unidos (19,2%), Argentina (12,7%) e Países Baixos (Holanda) (6,4%). Por sua vez, as compras da regional tiveram como principais origens China (24,4%), Estados Unidos (15,8%) e Índia (6,8%).
A “Balança Comercial das Diretorias Regionais” traz informações mensais do Comércio Exterior, por produto e por país. Os dados são extraídos do sistema ComexStat e analisados pelo Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior da Fiesp e do Ciesp.
Atuante desde 1949, a Fiesp-Ciesp Campinas conta atualmente com quase 500 indústrias associadas, distribuídas em 19 municípios. O faturamento conjunto dessas empresas associadas é de R$ 41,5 bilhões ao ano, e elas empregam 98,9 empregados. A Regional Campinas do Ciesp abrange 34 empresas de Sumaré, 19 de Hortolândia e 31 de Paulínia, que são cidades da área de cobertura do Jornal Tribuna Liberal.

NO ESTADO
O relatório é produzido pela com o desempenho das 42 diretorias regionais das entidades de classe (inclusive a de Campinas). No Estado como um todo, entre janeiro e setembro de 2020, as exportações paulistas apresentaram queda de 12,1% para US$ 33,9 bilhões. A contração é superior à queda de 7,7% do total de exportações do Brasil no mesmo período do ano passado.
Já as importações paulistas contraíram 15,9% em relação a 2019 para US$ 37,8 bilhões. O resultado está em linha com a queda de 14,4% das importações brasileiras, refletindo a diminuição da atividade econômica e o menor consumo de bens intermediários importados.
A regional de Sertãozinho registrou um aumento de 79,3% em suas exportações no período. O desempenho pode ser explicado pelo aumento nos embarques de açúcar (83%), sementes e frutos oleaginosos (308%) e resíduos das indústrias alimentares (120%).
As exportações da diretoria de Araraquara também apresentaram um aumento expressivo de 53,8% em relação a 2019. As vendas de produtos do setor aeronáutico aumentaram significativamente, o que fez com que a participação dos Estados Unidos como principal destino da região aumentasse para 27% do total da pauta.

Domingo, 18 de Outubro de 2020

Veja Também

Sondagem Industrial do Ciesp Campinas mostra ‘números positivos’ no mês de setembro

Matérias primas ainda estão em falta e, portanto, tiveram elevação nos seus preços A Regional ...