Prefeitura de Hortolândia promove palestra sobre a guarda responsável

Atividade é ministrada pelo DPBEA (Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal), órgão da Secretaria de Meio Ambiente

Ser dono de pet é um ato de responsabilidade. Afinal, você tem que cuidar dele, alimentá-lo e zelar pela saúde do bichinho. Para orientar a população sobre isso, a Prefeitura de Hortolândia realiza palestras, online e presenciais, sobre a guarda responsável de animais domésticos para escolas, igrejas, entidades, associações e empresas. A atividade é ministrada pelo DPBEA (Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal), órgão da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.
Para evitar a disseminação do coronavírus, as palestras presenciais são realizadas de acordo com os protocolos sanitários, com distanciamento para evitar aglomeração e uso obrigatório de máscara. Escolas, entidades, igrejas e empresas interessadas em agendar palestra do DPBEA devem entrar em contato pelos telefones (19) 3897-3312 e 3897-5974, ou pelo e-mail dpbea.smmads@hortolandia.sp.gov.br.
Em setembro deste ano, o órgão realizou duas palestras online para alunos dos 4º e 5º anos do Sesi (Serviço Social da Indústria) Hortolândia, a convite da própria instituição. O DPBEA está localizado na Rua Athanázio Gigo, 60, Chácaras Recreiro 2000, e funciona de segunda à sexta-feira das 8h às 12h, e das 13h às 16h.
O diretor do órgão, Vanderlei Fernando de Azevedo, destaca que nas palestras os participantes recebem orientações sobre bem-estar animal, cuidados básicos com os pets e zoonoses (doenças que podem ser transmitidas aos seres humanos por animais). E, para quem tem curiosidade em saber como é o trabalho do DPBEA, os encontros mostram como é a experiência diária do órgão no trato com os animais.
Outros dois temas importantes também abordados nas palestras são abandono e maus-tratos a animais. Azevedo ressalta que estas práticas são crime. Outra prática que é proibida no município é a permanência de animais soltos em vias e espaços públicos da cidade. O diretor salienta que entre os principais problemas que animais soltos podem causar são acidentes de trânsito em vias e rodovias, situações que podem ser até fatais. Outro risco apontado pelo diretor é que animais soltos podem ser hospedeiros de carrapatos, transmissores da Febre Maculosa, doença grave para o ser humano.
Para evitar estas ocorrências, o DPBEA realiza rotineiramente fiscalização de animais soltos em áreas e vias públicas da cidade. A fiscalização é feita mediante denúncia, que pode ser feita via telefone. Após receber a denúncia, a equipe do órgão vai até o local onde foi informada a presença do animal solto e faz a apreensão do mesmo.

ADOÇÃO
Além das palestras, o DPBEA também está com a campanha permanente de adoção de cães e gatos, “Encontre um Amigo”. Para quem quiser adotar um amigo de quatro patas, basta ir ao órgão. Para adotar um dos animais abrigados pelo órgão, a pessoa interessada precisa ter 18 anos ou mais e apresentar Carteira de Identidade (RG) ou outro documento de identificação com foto e comprovante de residência. “Além disso, a pessoa ainda tem que assinar um termo de guarda responsável”, explica o diretor do órgão.
Atualmente, o DPBEA abriga 230 animais domésticos, dos quais 150 cães e 80 gatos, disponíveis para adoção, entre machos e fêmeas, filhotes e adultos, todos SRD (sem raça definida) ou “vira-latas”, como são popularmente chamados. Ainda de acordo com o órgão, todos os animais estão vermifugados, vacinados contra a raiva e castrados. De acordo com o diretor, o objetivo da campanha é diminuir o abandono de animais na cidade e encontrar para eles um novo lar.

Sábado, 17 de Outubro de 2020

Veja Também

Vigilância adverte 33 comércios por falta de cartazes sobre as máscaras

Duas pessoas que caminhavam na calçada com máscaras no queixo foram notificadas e advertidas pelo ...