Comércio da RMC deve faturar 6,19% a menos no Dia das Crianças, prevê Acic

Estimativa do economista Laerte Martins mostra queda de R$ 26,5 milhões em vendas de presentes neste ano

O Comércio Varejista da RMC (Região Metropolitana de Campinas) – incluindo lojas físicas e eletrônicas de Sumaré, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa e Paulínia – deve faturar 6,19% a menos em vendas para o Dia das Crianças deste “ano da pandemia” de 2020, celebrado na próxima segunda-feira (12/10), feriado nacional da Padroeira do Brasil. Isto representa uma queda de R$ 26,5 milhões em vendas de brinquedos, roupas, eletrônicos e outros.
A estimativa é do economista Laerte Martins, diretor da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas). Para comparação, o Comércio da região havia faturado 2,41% a mais em outubro de 2019 (o que inclui as vendas do Dia das Crianças), na comparação com o mesmo mês do ano anterior.
“O Dia das Crianças, comemorado em 12 de outubro, deve possibilitar um faturamento de R$ 401,5 milhões no Comércio da Região Metropolitana de Campinas neste ano. Campinas deve responder por R$ 201,5 milhões deste total. Na RMC, o montante é 6,19% menor do que o referente à data em 2019, quando o Comércio faturou R$ 428 milhões”, apontou Martins.
Na cidade de Campinas, a queda no faturamento prevista deve ser de 6,28% em relação aos R$ 215 milhões registrados no ano passado. “Como o Dia das Crianças é comemorado no feriado da Padroeira do Brasil, o Comércio em Campinas funcionará facultativamente, ou seja, sem a obrigatoriedade de abrir, das 9h às 17h”, explicou Martins.
Ainda de acordo com o economista, não há previsão de contratação de mão de obra temporária neste ano para a data. “Não estão previstas contratações temporárias para a data”, ressaltou Martins – em 2019, esta mesma “data especial” de outubro havia gerado cerca de 2,3 mil vagas temporárias nas lojas da RMC, a maioria em lojas de Campinas.
Ao menos o valor médio do presente deste ano deve ficar em torno dos R$ 150,00, que representam um crescimento de 2,04% em relação aos valores médios gastos pelas famílias nos presentes em 2019. “O valor médio do presente previsto para esta data é de R$ 150,00, um crescimento de cerca de 2,04% em relação aos R$ 147,00 gastos no ano passado”, destacou o economista.

PRESENTES
Segundo o diretor da Acic, os presentes mais procurados para os meninos, neste “ano da pandemia”, devem ser as bicicletas, eletroeletrônicos, celulares e skates e, para as meninas, bonecas, jogos educativos, celulares e roupas.
O aumento da procura por bicicletas e equipamentos eletrônicos vem sendo verificado pelo Varejo desde o início da pandemia, como opções de lazer mais “individuais” não apenas para crianças e adolescentes, como para adultos também.
A entidade de classe ainda não divulgou os resultados de faturamento e vendas do Comércio da RMC para setembro. Mas, em agosto, o setor regional havia registrado um faturamento estimado pela Acic em R$ 2,49 bilhões, uma parcial mensal 10,35% superior ao faturamento do mês imediatamente anterior, julho.
No entanto, os dados mensais, estimados e analisados a partir de informações da Boa Vista SCPC pelo economista Laerte Martins, mostram que o faturamento do Comércio da RMC, em agosto deste ano, foi 12,35% menor do que no mesmo mês do ano passado, 2019.
No acumulado do ano até agosto, as perdas de faturamento pelo Comércio das 20 cidades da RMC já era de 18,9%: ao final do 2º quadrimestre do ano passado, o setor acumulava vendas de R$ 21,27 bilhões. No mesmo período deste “ano da pandemia”, essa parcial caiu para R$ 17,23 bilhões – uma perda no faturamento de R$ 4,04 bilhões.

Quarta-feira, 7 de Outubro de 2020

Veja Também

Comércio da RMC reage e vende 5,22% a mais em setembro, aponta Associação

No acumulado do ano, no entanto, setor faturou 18% a menos que em 2019, deixando ...