Indústria paulista retorna em agosto ao nível pré-pandemia

Levantamento Sensor da Fiesp em 50,7 pontos em setembro marca “retorno ao campo positivo do indicador após seis meses”

Com avanço das horas trabalhadas na produção e das vendas reais, a Indústria de Transformação paulista manteve em agosto a trajetória de recuperação iniciada em maio, após o período mais agudo da quarentena às atividades econômicas e sociais imposta pela pandemia da Covid-19, mostra o Levantamento de Conjuntura mensal divulgado na segunda-feira (28/09) pela Fiesp-Ciesp (Federação e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo).
Entre julho e agosto, o item “Horas Trabalhadas na Produção” subiu 3,3%, enquanto as “Vendas Reais” da Indústria no Estado registraram alta de 0,6%. O “Volume de Vendas” também voltou ao nível pré-pandemia e está 3,9% acima do patamar de fevereiro.
Indo na mesma direção, o Nuci (Nível de Utilização da Capacidade Instalada) da Indústria atingiu 76,9% no estado em agosto, um aumento de 2,4 p.p (pontos percentuais) com relação a julho. Os “Salários Reais” também seguiram em recuperação, crescendo 0,6% frente ao mês anterior. Todos os dados estão livres de efeitos sazonais.
Assim como no caso das “Vendas Reais”, o Nuci superou o nível pré-pandemia, com alta de 1,0 p.p. Apesar do movimento de recuperação, o Nuci ainda está 2,5 p.p abaixo da média histórica (que é de 79,4%), “ilustrando que há espaço para crescimentos adicionais da atividade na Indústria de Transformação paulista, sem a necessidade de aumento de capacidade”, aponta a Fiesp-Ciesp.
Os demais indicadores do Levantamento de Conjuntura apresentam os seguintes resultados na comparação com fevereiro: “Horas Trabalhadas na Produção” apresentou queda -3,8% e os “Salários Reais Médios”, de -0,2%. A pesquisa das entidades de classe vem apresentando sinais de recuperação crescentes da Economia paulista desde maio.

SENSOR
A Pesquisa Sensor, também realizada mensalmente pela Fiesp-Ciesp e que avalia o mês corrente, aponta que setembro fechou em 50,7 pontos (na série com ajuste sazonal), resultado superior ao de agosto (49,5 pontos). “Após seis meses no campo de retração, o indicador registra resultado positivo (acima dos 50 pontos) e aponta melhora da atividade industrial paulista”, indicaram as entidades de classe.
Em setembro, o item “Mercado” apresentou aumento em relação ao mês passado, ficando em 55 pontos. Números acima dos 50 pontos indicam melhora das condições de mercado no mês corrente.
O indicador de “Vendas” permaneceu praticamente estável em relação ao último divulgado. Passou de 52,1 pontos para 52,4 pontos no período. Ao ficar acima de 50 pontos, indica expectativa de aumento das vendas no mês em relação ao anterior. Nesta leitura, o nível de “Estoques” variou positivamente em relação ao mês de agosto. O índice avançou de 49,3 pontos para 52,5 pontos. Ao ultrapassar a linha de 50 pontos, há indícios que os estoques estão abaixo do nível desejado. O indicador “Emprego” atingiu 45,7 pontos. Ao distanciar-se da linha de 50,0 pontos, o indicador aponta redução do emprego industrial paulista no mês. E, por fim, o componente de “Investimentos” registrou 45,9 pontos no mês, registrando avanço pelo quinto mês consecutivo. “Apesar do progresso, o indicador permanece abaixo dos 50 pontos, o que indica redução dos investimentos no período”, finalizou a análise da Fiesp-Ciesp.

Terça-feira, 29 de Setembro de 2020

Veja Também

Comércio da RMC reage e vende 5,22% a mais em setembro, aponta Associação

No acumulado do ano, no entanto, setor faturou 18% a menos que em 2019, deixando ...