Prefeitura de Paulínia rejeita a volta das aulas presenciais já em outubro

Mesma decisão se estende às redes Estadual e Privada da cidade; não foi adiantada uma possível data de retorno das aulas

Em nota divulgada na terça-feira (22/09), a Prefeitura de Paulínia informou que as atividades presenciais na Rede Municipal de Educação não retornarão no mês de outubro, conforme autorizado pelo Governo do Estado recentemente. A palavra final sobre a volta ou não das aulas presenciais, conforme ressaltou o Estado, é de cada município. A mesma decisão se estende às redes Estadual e Privada da cidade, acrescentou a gestão.
As aulas presenciais estão suspensas na Rede Pública Municipal desde 23 de março. A Prefeitura não divulgou uma possível data de retorno posterior ao mês de outubro. Assim, os cerca de 20 mil alunos da Rede Municipal continuam com atividades remotas, em casa.
“A Prefeitura Municipal de Paulínia vem formalmente comunicar o não retorno das atividades e aulas presenciais na Rede Municipal de Educação no mês de outubro. A decisão foi tomada pelo Comitê de Enfrentamento e Prevenção do Coronavírus, em conjunto com o Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus Específico para a Educação e com o Conselho Municipal de Educação”, ressaltou a gestão paulinense.
Segundo a Prefeitura, a decisão dos comitês pautou-se em “critérios eminentemente técnicos e científicos, com a finalidade precípua de proteger as crianças, os trabalhadores e a comunidade, o que se constitui em obrigação e compromisso da atual Administração Municipal”.
Na última sexta-feira (18/09), o Governo do Estado havia divulgado um novo calendário de retorno às aulas presenciais, mantendo a data de início da retomada opcional de aulas presenciais escalonadas para o dia 07 de outubro, mas só para alunos do Ensino Médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos) da Rede Estadual – que são os ciclos que podem ser mais afetados pela evasão escolar.
Para as escolas que atendem alunos do Ensino Fundamental, no entanto, a data prevista de retorno foi alterada para o próximo dia 03 de novembro. O próprio Governo do Estado destacou na ocasião que “tanto o calendário de retomada presencial como a realização de atividades de reforço nas escolas municipais, estaduais e privadas podem ou não ser autorizadas pelas prefeituras”. Ou seja, que a palavra final sobre estas datas é dos prefeitos.

OUTRAS CIDADES
Também na sexta-feira, a Prefeitura de Sumaré informou que “o atual momento da pandemia do novo coronavírus requer a continuidade dos bons níveis de proteção individual e coletiva”, e que por isso o Comitê Intersetorial que cuida do tema “definiu pela manutenção do Ensino remoto na Rede Pública Municipal e escolas conveniadas” por tempo indeterminado.
No caso das instituições privadas de Educação Básica, Profissional e Superior, “fica a critério da coordenação de cada unidade o retorno das atividades presenciais, desde que atendam aos protocolos sanitários estabelecidos pelo Plano São Paulo e também a qualquer outra norma complementar determinada pela Secretaria Municipal”.
Já Hortolândia informou que “o tema está em discussão e análise” e que “ainda não há data prevista para o retorno às aulas presenciais na Rede Municipal, que se mantém com aulas presencias suspensas, realizando atividades de ensino remoto por meio do Blog Educação. Deste modo, não haverá retorno no dia 07 de outubro”. A rede privada hortolandense está autorizada a retornar desde 14/09.
Em Nova Odessa “o retorno das aulas presenciais em escolas públicas e particulares está proibido até 07 de outubro”. “Até o final deste mês, uma nova análise da situação epidemiológica do município será feita pela Secretaria de Saúde para apontar se o município reúne condições para retomada”, concluiu a gestão novaodessense.

Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020

Veja Também

Justiça confirma a candidatura de Perugini à reeleição em Hortolândia

Juíza entendeu que rejeição das contas de 7 convênios não caracteriza as situações previstas na ...