Central Única das Favelas distribui 72 mil frascos de álcool em gel na região

Voluntários ajudaram moradores de Sumaré, Hortolândia e Paulínia; em Campinas, ocorreu a entrega de 30 mil máscaras

A Cufa (Central Única das Favelas) realizou um “pit stop” para distribuição de frascos de álcool em gel na região. Em Sumaré, os voluntários distribuíram 32 mil unidades, próximo à rodoviária. Mais de 28 mil ítens foram entregues em Hortolândia e 12 mil em Paulínia. O presidente da Cufa da Região Metropolitana, Henry Paulinio, explica que a Central transformou-se em uma “ideia-força” nas comunidades Brasil adentro. Levantamento realizado pela própria Cufa aponta que 78 % dos moradores de favelas não têm acesso a álcool em gel e máscaras.
Os voluntários entendem que as pessoas das favelas são maioria entre os profissionais que estão nas ruas, pois apesar da quarentena da Covid-19, assumem funções essenciais que sustentam a sociedade. Quando elas param, o país todo para também. Para o grupo, a iniciativa circula na periferia da Região Metropolitana de Campinas, com a missão de mistificar os impactos da crise econômica que a pandemia instaura nas cidades, como a falta de acesso a alimentos e materiais de proteção como máscaras e produtos de higiene das famílias em vulnerabilidade social. Ações de sanitização e doação de refeições também integram as ações que acontecem periodicamente em cada favela, que recebe junto de cada kit, manuais de prevenção e orientações contra o contágio do coronavírus. “Precisamos levar esses cuidados para os nossos. O impacto da pandemia nos moradores de favela precisa ser amenizado. Nos organizamos junto aos parceiros, para promover ações coordenadas para ajudar as favelas da Região Metropolitana durante esse período através de uma grande rede que monitora e intervém em cada localidade baseada nas necessidades encontradas”, comenta Paulinio. Ao todo, voluntários espalhados atuam nas mais de 88 favelas atendidas. Um total de 32 mil pessoas atendidas em Campinas, Sumaré, Hortolândia, Piracicaba, Paulínia, Limeira, Artur Nogueira, Cosmópolis, foram beneficiados pelo projeto. Cestas básicas, kits de higiene, máscaras, álcool em gel a 70% são recebidos por parceiros e patrocinadores e distribuídos a cerca de 32 mil famílias espalhadas em 88 comunidades em regiões metropolitanas. A Cufa ressalta que conta com mais de 14 milhões de moradores em favelas no país e que antes da pandemia produzia mais de R$ 16 bilhões de renda no ano. Cinquenta por cento dos moradores são autônomos e 12 % informais.
A Cufa é uma organização brasileira reconhecida nacional e internacionalmente nos âmbitos político, social, esportivo e cultural que existe há 20 anos. Foi criada a partir da união entre jovens de várias favelas, principalmente negros, que buscavam espaços para expressarem suas atitudes, questionamentos ou simplesmente sua vontade de viver. Tem o rapper MV Bill como um de seus fundadores. MV Bill já recebeu diversos prêmios devido à sua ativa participação no movimento hip hop. Por exemplo: a ONU (Organização das Nações Unidas) para a Educação, a Ciência e a Cultura o premiaram como uma das dez pessoas mais militantes no mundo na última década. Além dele, a Cufa conta com Nega Gizza, uma forte referência feminina no mundo do rap, conhecida e respeitada por seu empenho e dedicação às causas sociais. Tem ainda o produtor Celso Athayde como coordenador geral. Quem quiser fazer uma doação para a causa pode depositar na conta corrente do Bradesco, agência 0310- 7, conta 0005585- 9, em nome de Henry Eugenio, CPF 323.368.898-97, ou na Vakinha online disponível em http://vaka.me/1005367. O link para as doações ao “Mães da Favela” é o bit.ly/maesdafavelapicpay. Os voluntários também aceitam todos os tipos de doações, como alimentos, produtos de limpeza e higiene.

Sábado, 19 de Setembro de 2020

Veja Também

Média móvel de mortes diárias por Covid-19 despenca 54,5% na região

Prefeitura de Monte Mor confirmou ontem o 41º óbito pelo coronavírus; Nova Odessa ultrapassou os ...