Região permanece ao menos mais 1 mês na ‘fase amarela’ do Plano SP

Franca e Ribeirão Preto têm “melhora significativa” de indicadores e avançam; reclassificação está prevista para 09 de outubro

A região formada pelas 42 cidades atendidas pelo DRS 7 (Departamento Regional de Saúde de Campinas, incluindo Sumaré, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa e Paulínia) vai permanecer por ao menos mais um mês na “fase 3 – amarela” do Plano São Paulo, na qual se encontra desde o dia 08 de agosto. A reclassificação para progressões de fase passa a ser mensal, com nova revisão no dia 09 de outubro.
Além disso, agora todas as 22 regiões do Estado estão no “amarelo”, fase que permite atendimento presencial em bares, restaurantes, salões de beleza, academias, shoppings, comércios de rua, escritórios em geral e concessionárias. A notícia foi dada pelo governador João Doria (PDSB) sexta-feira (11/09), na 13ª atualização semanal do Plano.
Com a estabilidade do avanço da pandemia em todas as regiões, o Centro de Contingência do Coronavírus recomendou que o monitoramento seja estendido para um período mínimo de 28 dias. “O acompanhamento dos indicadores nas próximas quatro semanas vai garantir mais segurança na possível migração de regiões para a fase verde a partir do início de outubro”, justificou o Estado.
Desde a semana anterior, 95% da população paulista já estava em regiões contempladas na terceira de cinco etapas do Plano. Franca e Ribeirão Preto estavam na “fase laranja”, mais restritiva, mas tiveram queda acentuada em número de mortes e internações pelo coronavírus, além de melhoria nas taxas de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).
Na média estadual, os números apontam que a pandemia vem regredindo de forma consistente. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde e do Centro de Contingência, São Paulo registra declínio de mortes por Covid-19 há cinco semanas consecutivas. Já as internações de pacientes com coronavírus estão em queda há oito semanas.
Na atualização desta semana, a variação de novos casos na média estadual foi 31% menor em relação à medição anterior. As novas internações caíram 10% em comparação à semana passada, e o número de óbitos foi 20% menor. A taxa estadual de internações por cem mil habitantes é de 43,7, além de média de seis mortes por coronavírus a cada cem mil habitantes.
A capacidade de atendimento hospitalar a pacientes graves com Covid-19 também é considerada confortável – a média atual de ocupação de leitos de UTI é de 52,5. Atualmente, o estado de São Paulo dispõe de 20,5 vagas hospitalares para casos graves de Covid-19 a cada cem mil habitantes.
Apesar da alteração no período de medição do Plano São Paulo, o Governo do Estado poderá decretar regressão para a “fase vermelha” de qualquer região, a qualquer momento, “em caso de piora significativa das taxas de contaminação por coronavírus ou redução acentuada da capacidade hospitalar”.
“Não haverá retorno para a ‘fase laranja’, o que aumenta a responsabilidade de prefeitos, secretários municipais de saúde e da própria população. Afinal, a população precisa se resguardar e se proteger, obrigatoriamente usar máscara ao sair de casa, seguir o distanciamento social de 1,5 metro, lavar as mãos e usar álcool em gel”, destacou o governador.

Sábado, 12 de Setembro de 2020

Veja Também

Atividade industrial do Brasil segue em recuperação, com alta de vagas

Sondagem da Confederação Nacional da Indústria indica que atividade já voltou ao patamar “pré-crise” A ...