PIB de São Paulo volta a crescer e se aproxima de nível do pré-pandemia

Levantamento da Fundação Seade indica retomada econômica colocada em prática para combater efeitos da pandemia

O governador João Doria (PSDB) anunciou na quarta-feira (09/09) que o PIB (Produto Interno Bruto) de São Paulo, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no Estado em determinado período, cresceu novamente em julho e já alcança níveis semelhantes aos do início do ano, quando a Economia ainda não sofria os impactos da pandemia do novo coronavírus, causador da Covid-19 e que motivou a decretação da quarentena no Estado em março.
O crescimento estimado do PIB foi de 2,1% no mês de julho. Nos meses de maio e junho, os índices foram de 4,5% e de 5,5%, respectivamente. Com tais resultados, o PIB de São Paulo chegou a 103,2 pontos. O desempenho é semelhante ao observado no mês de janeiro, quando o PIB atingiu 103,4 pontos e o país ainda não sofria os impactos da pandemia de Covid-19.
O desempenho positivo é, segundo ele, “reflexo de um amplo plano de investimentos do Governo de São Paulo para a retomada econômica até 2022, aliado às medidas de desoneração dos cofres públicos”.
“A Economia do Estado de São Paulo começa a se recuperar e o PIB do estado volta ao mesmo nível que teve em janeiro deste ano, antes da pandemia. O PIB de São Paulo chega a 103,2 pontos, praticamente o mesmo observado em janeiro. O desempenho da Economia de São Paulo é substancialmente melhor do que o desempenho do PIB do Brasil”, destacou o governador.
Doria atribuiu o bom desempenho a uma série de ações do Governo de São Paulo, que vão proporcionar a recuperação econômica e a geração de emprego e renda no Estado. “Temos trabalhado em dois eixos. O primeiro é o plano de investimentos para recuperação econômica, denominado ‘retomada 2021/2022’, com busca de investimentos internos e externos. E o segundo eixo é a reforma e modernização administrativa que enviamos à Assembleia Legislativa, com propostas para o enxugamento da máquina pública do Estado”, pontuou o governador.
Os números foram detalhados pelo secretário estadual da Fazenda, Henrique Meirelles. Ele indicou que o PIB paulista avançou 1,8% em julho, em comparação com julho de 2019 e que, no acumulado de 12 meses, a atividade econômica do Estado avançou 0,4%. “Estamos trabalhando no plano de retomada para que São Paulo mantenha um ritmo forte de crescimento”, disse Meirelles.
Os dados do PIB fazem parte do novo indicador PIB+30, criado pela Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados) em agosto deste ano para a disponibilização de informações mais rápidas e precisas e utilizado pelo Governo de São Paulo como apoio para tomada das decisões, especialmente na área econômica.

NO BRASIL
Semana passada, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou que o PIB nacional teve queda de 9,7% no segundo trimestre deste ano, na comparação com o trimestre anterior. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, o PIB caiu 11,4%. Ambas são as quedas mais intensas da série, iniciada em 1996. No acumulado dos quatro trimestres terminados em junho, houve queda de 2,2% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores.
No primeiro semestre de 2020, o PIB caiu 5,9% em relação a igual período de 2019. Nesta comparação, houve desempenho positivo para a agropecuária (1,6%) e quedas na indústria (-6,5%) e nos serviços (-5,9%).
Em valores correntes, o PIB no segundo trimestre de 2020 totalizou R$ 1,653 trilhão, sendo R$ 1,478 trilhão em VA (Valor Adicionado) a preços básicos e R$ 175,4 bilhões em Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios.
Segundo o Instituto, “o PIB do segundo trimestre foi afetado pelo auge das medidas de distanciamento social para controle da pandemia de Covid-19, adotadas em vários pontos do país a partir de meados de março”, e está no mesmo patamar do final de 2009, quando ocorreu o auge dos impactos da crise global provocada pela onda de quebras na Economia americana.

Quinta-feira, 10 de Setembro de 2020

Veja Também

Cidades registram mais 101 casos e 5 óbitos pela Covid-19 em 24 horas

Número de óbitos na região chegou a 537 desde o início da pandemia; nas cinco ...