Data de volta às aulas presenciais deve ser a mesma em toda a RMC

Segundo Jonas Donizette, de Campinas, discussões entre prefeitos e secretários municipais de Educação “estão bastante avançadas”

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), declarou em sua “live” (transmissão ao vivo pela internet) diária de sexta-feira (14 de agosto) que todos os prefeitos da RMC (Região Metropolitana de Campinas, que inclui as cidades de Sumaré, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa e Paulínia) concordaram em adotar um calendário conjunto para a volta às aulas presenciais nas Redes Municipais de Educação, suspensas desde março por conta da pandemia do novo coronavírus.
Segundo ele, “as discussões estão bastante avançadas tantos entre os prefeitos quanto com os secretários municipais de Educação”. Quando questionado sobre uma data para o retorno das aulas presenciais, o prefeito foi enfático. “Todas as cartas estão na mesa. Mas se eu não tiver uma segurança da Saúde, pode ser que a gente não volte este ano. Não há uma decisão tomada”, afirmou Donizette.
Enquanto as discussões sobre a volta às aulas acontecem, a Secretaria de Educação de Campinas montou um Comitê que está trabalhando na elaboração dos protocolos de retomada. Em Campinas, as aulas estão suspensas desde o último dia 23 de março. A Rede Municipal campineira conta com aproximadamente 70 mil alunos.
No último dia 07/08, o Governo do Estado anunciou que a retomada das aulas presenciais na Rede Estadual de Ensino vai acontecer apenas no dia 07 de outubro, e não mais em 08 de setembro, como planejado anteriormente. Ainda assim, para que essa previsão se concretize, é necessário que o Estado esteja por 28 dias na “fase amarela” do Plano São Paulo. O retorno será gradual e, na primeira etapa, vai atingir até 35% dos alunos. É possível que as Redes Municipais sigam o calendário do Estado, mas os prefeitos têm autonomia para divergir e adotar outras datas.

SECRETÁRIOS
No entanto, no último dia 11/08, a Câmara Temática de Educação da RMC apresentou ao Conselho de Desenvolvimento (formado pelos prefeitos das 20 cidades) um documento com “ponderações” em relação à possibilidade de retomada das aulas presenciais nas Redes Municipais já nos próximos meses, conforme cogita o Governo do Estado. O documento foi formatado pelos secretários municipais de Educação numa reunião online no último dia 28/07.
No documento, os secretários pediam que os prefeitos se reunissem “em caráter extraordinário”, avaliassem os apontamentos e se manifestem sobre as observações técnicas. O principal ponto do documento “coloca em xeque” a capacidade das prefeituras de comprar EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), como máscaras, luvas e face shields, em quantidade suficiente, e a tempo, para os professores e equipes de apoio, além da implantação de mecanismos que “garantam a segurança de alunos e funcionários”.
Além disso, 30% das equipes das Redes Municipais fazem parte de grupos de risco e não voltariam ao trabalho nesse momento, e o aumento exponencial da circulação de pessoas nas cidades em razão do retorno das aulas presenciais também está entre as ponderações dos secretários. De acordo com o documento, a volta às aulas agora seria contraditória às recomendações de isolamento social do Ministério da Saúde e da OMS (Organização Mundial de Saúde).

Sábado, 15 de Agosto de 2020

Veja Também

SETEMBRO: MÊS DE COMEMORAÇÃO NO ROTARY CLUB DE SUMARÉ-AÇÃO

No dia 1º setembro de 1997 nascia o ROTARY CLUB DE SUMARÉ-AÇÃO. São 23 anos ...