Antecipada para setembro entrega do Pronto Socorro Metropolitano

Unidade deve receber pacientes de Sumaré e Hortolândia – que hoje representam 40% dos atendimentos do PA Anchieta

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), realizou na terça-feira (11/08) a última vistoria nas obras do PS (Pronto Socorro) Metropolitano, na Vila Padre Anchieta – que deve atender também a pacientes de Sumaré e Hortolândia. A nova unidade deve ser entregue em setembro. A previsão inicial era dezembro, mas a construção está em fase final e por isso a entrega será antecipada.
“O PS Metropolitano terá uma instalação moderna, com climatização, rede de gases, com o que tem de melhor para atender a saúde da nossa população”, afirmou o prefeito. A obra conta com investimentos de R$ 7,5 milhões. Apesar do nome, o serviço funcionará como uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), pois para ser um PS é preciso estar dentro de um hospital.
A nova unidade, que vai substituir o PA Anchieta, terá capacidade para atender mil pessoas por dia. Vai funcionar em uma área de cerca de 3 mil metros quadrados, quatro vezes maior que o PA Anchieta, que atualmente está instalado em um espaço de 700 metros quadrados e realiza cerca de 250 atendimentos por dia. Os dois serviços ficam na Avenida João Paulo 2º.
“A unidade atual do PA Anchieta é muito acanhada, está muito aquém das necessidades da região. Queremos colocar em atuação o mais rápido possível para servir a população de toda essa região e também das cidades vizinhas”, explicou o presidente da Rede Mário Gatti, Marcos Eurípedes Pimenta.
A unidade conta com três pavimentos: recepção e atendimentos infantil e adulto. Em razão da localização, terá um perfil metropolitano de atendimento, pois receberá, além de pacientes de Campinas, pessoas de Sumaré e Hortolândia, que hoje representam 40% dos atendimentos do PA Anchieta. Por esse motivo, o prefeito de Hortolândia, Angelo Perugini (PDT), participou da visita. “É um sonho antigo. Nós vamos juntos buscar esse custeio, também com o apoio do Governo do Estado”, disse Donizette.
“O PS Metropolitano será fundamental para compor a política de saúde na urgência e emergência. Estará próximo às rodovias Anhanguera e Bandeirantes. Terá gestão da Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar”, apontou a gestão campineira.
A unidade é uma demanda antiga da população. Quando o atual governo municipal assumiu, em 2013, havia um projeto de construção com problemas técnicos. Por isso, na época, não foi possível iniciar a obra. O projeto foi refeito e a obra foi iniciada em 2018.
A visita contou, também, com o secretário de Saúde de Campinas, Carmino de Souza, o superintendente do HC da Unicamp, Antonio Gonçalves de Oliveira Filho, e o vice-diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, Claudio Coy.

VERBAS
Durante a visita de terça-feira, o prefeito Jonas Donizette e o secretário municipal de Saúde de Campinas, Carmino de Souza, assinaram um documento endereçado ao Ministério da Saúde, solicitando a liberação dos cerca de R$ 3 milhões excedentes do convênio que garantiu a construção do PS Metropolitano. Os recursos seriam aplicados na compra de equipamentos e materiais permanentes para a unidade.

Quinta-feira, 13 de Agosto de 2020

Veja Também

Lei da Importunação Sexual completa 2 anos; advogado especialista explica

Criminalista Leonardo Pantaleão exalta a Lei e explica as diferenças paras os crimes de estupro ...