Sumaré detalha regras da nova fase de flexibilização do Comércio e Serviços

Estabelecimentos dos diversos segmentos beneficiados devem seguir normas técnicas e sanitárias, ressalta gestão

De acordo com a mais recente orientação do Governo do Estado, Sumaré foi enquadrada na “fase 3 – amarela” do Plano São Paulo. Assim, desde o último sábado, dia 08 de agosto, uma nova fase de flexibilização do Comércio e dos Serviços considerados não essenciais foi implantada na cidade, ampliando o horário de funcionamento dos estabelecimentos e os segmentos que podem abrir – porém, “sempre atendendo as normas técnicas e sanitárias”, destacou a Prefeitura.
A liberação dos estabelecimentos será analisada por quinze dias, juntamente com a evolução ou não da transmissão do novo coronavírus e da capacidade de resposta do Sistema de Saúde. Por isso, segundo a gestão municipal, “a retomada do atendimento ao público nos estabelecimentos permitidos seguirá algumas restrições conforme determina o Decreto Estadual nº 64.994”.
“Após análise e discussão do Comitê Municipal de Proteção e Enfrentamento ao Coronavírus, em Sumaré, o Comércio Varejista, escritórios, atividades imobiliárias e concessionárias poderão funcionar das 10h às 16hs. O Shopping Center (ParkCity) terá horário expandido das 15h às 21h, porém a praça de alimentação só poderá funcionar em espaço aberto ou arejado”, explicou a Prefeitura.
Salões de beleza e barbearias poderão funcionar seis horas diárias, atendendo via agendamento. Já o consumo local em bares, restaurantes e similares poderá ser feito em local aberto ou arejado, por um período de seis horas, definidas por cada estabelecimento, de acordo com o Plano São Paulo. Fora do período de consumo, os serviços de delivery e drive-thru podem ser mantidos. Todos os estabelecimentos devem funcionar com 40% da capacidade.

ACADEMIAS E CULTOS
As academias esportivas e centros de ginástica podem funcionar com 30% da capacidade, por até 6 horas diárias. Estão permitidas apenas as aulas e práticas individuais e o atendimento deve ser por agendamento.
Cultos, missas, eventos, convenções e atividades culturais poderão ser realizadas desde que cumprido o prazo descrito no Plano São Paulo, dentro do horário reduzido de seis horas diárias. Será necessário ter controle de acesso e, em caso de venda de ingressos, a comercialização deverá ser realizada apenas via online. Atividades que as pessoas devem permanecer em pé permanecem suspensas.
Todos os estabelecimentos devem disponibilizar álcool gel, manter o distanciamento entre clientes e funcionários e permitir o acesso somente de pessoas com máscaras. A fiscalização da flexibilização, bem como a orientação dos comerciantes e população, permanece diária.
“Trabalhamos para o bem da população, priorizando a saúde dos munícipes, mas levando em conta sempre a economia, que é possível flexibilizar com responsabilidade. As orientações do prefeito Luiz Dalben são para que este Comitê esteja atento, ouça a população, os comerciantes e empresários e tome decisões que favoreçam os moradores e o macro e obedeçam as normas sanitárias e de saúde. Após a nova orientação do Governo do Estado, analisamos os critérios estaduais para a reabertura gradual do Comércio. Porém, queremos pedir a colaboração dos comerciantes e empresários para que sigam as normas técnicas e abram suas portas de maneira responsável. Contamos com a colaboração de todos para frear a transmissão do coronavírus e retomar nossas rotinas o mais breve possível”, explicou o Comitê em nota.

Quarta-feira, 12 de Agosto de 2020

Veja Também

Covid-19: doença pode deixar sequelas mesmo após a ‘cura’

Reclamações mais frequentes de curados incluem cansaço, fadiga, falta de ar e, em alguns casos, ...