Economia do Estado cresce 6,8% em junho, mostra novo indicador PIB+30

Metodologia da Fundação Seade coloca SP em patamar de países como EUA e França no rastreamento da atividade econômica

O governador João Doria (PSDB) lançou na segunda-feira (10/08) o indicador PIB+30 para monitorar as tendências da Economia paulista no contexto da pandemia do novo coronavírus – além, é claro, da evolução do PIB (Produto Interno Bruto). E, de acordo com a Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados), o PIB+30 de junho, na comparação com maio, avançou 6,8% – o segundo resultado mensal positivo consecutivo. No acumulado de 12 meses, o PIB+30 em junho avançou 0,7%. Na comparação a junho de 2019, houve evolução de 1,8%.
Em relação ao resultado trimestral, o PIB+30 registrou retração de 5,4% no segundo trimestre de 2020 na comparação com o mesmo período de 2019. Já no primeiro semestre deste ano, houve retração de 1,3% em relação aos verificado nos seis primeiros meses do ano passado.
Desenvolvida pela Fundação Seade, a ferramenta agiliza o acompanhamento de estatísticas do Produto Interno Bruto do Estado de São Paulo e rastrear tendências da atividade econômica com mais rapidez e eficiência.
“Trata-se de uma ferramenta de gestão inovadora, que permite examinar as estatísticas da atividade econômica a uma velocidade muito superior às análises de PIB conhecidas até agora. Essa medida coloca São Paulo no mesmo patamar de países como EUA e França em relação a ferramentas de análise da evolução da Economia. O PIB+30 será parte fundamental no robusto e necessário plano de recuperação econômica que estamos preparando para São Paulo”, afirmou Doria.
Segundo o governo, o novo indicador representa cerca de 97% do PIB estadual e será apresentado na forma de índices e taxas ajustadas sazonalmente. De acordo com o planejamento do Governo do Estado, o PIB+30 será publicado em conjunto com a estimativa oficial do PIB do mês anterior.
Segundo a linha de trabalho da Fundação Seade, o PIB+30 vai contemplar o cálculo do PIB do Estado e dos PIBs dos Municípios, estes em conjunto com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), além de um sistema de estatísticas conjunturais composto pelo PIB trimestral (Estado de SP e Regiões) e PIB mensal (Estado de São Paulo).

MELHORES PRÁTICAS
O objetivo do Governo de São Paulo é “revisar as melhores práticas internacionais e dar início ao uso de uma família de indicadores baseada nas chamadas ‘flash estimates’, que são estimativas instantâneas ou em tempo real”. Para o Secretário da Fazenda e Planejamento de São Paulo, Henrique Meirelles, “o PIB+30 será decisivo para delinear a retomada econômica em todo o Estado a partir de 2021”.
“A ideia é exatamente diminuir o período entre a base de ocorrência de crescimento ou queda do PIB e a data de publicação, diminuindo a defasagem em cerca de um mês. Isso nos permite acompanhar com maior precisão essa evolução e identificar rapidamente mudanças de atividade econômica no estado”, afirmou Meirelles.

METODOLOGIA
A metodologia do PIB+30 tem como referência o mês anterior e incorpora dados de alta e altíssima frequência com para rastrear rapidamente as mudanças da atividade econômica. A aplicação convergente de fontes usadas nos painéis do PIB Mensal e do PIB+30 fortalece a utilização do novo indicador para antever o comportamento do PIB paulista. A medida facilita a verificação de setores com melhor desempenho e a definição de políticas públicas de fomento econômico e investimentos do Governo do Estado.

Terça-feira, 11 de Agosto de 2020

Veja Também

Covid-19: doença pode deixar sequelas mesmo após a ‘cura’

Reclamações mais frequentes de curados incluem cansaço, fadiga, falta de ar e, em alguns casos, ...