Região tem mais 8 óbitos e 237 casos de Covid; infectados passam de 8,5 mil

Foram mais quatro mortes confirmadas por Sumaré, duas por Hortolândia, uma por Nova Odessa e uma por Paulínia em 24 horas

As prefeituras de Sumaré, Hortolândia, Nova Odessa e Paulínia informaram na quinta-feira (06/08) mais oito óbitos causados pela Covid-19, elevando o total de mortos pela pandemia na microrregião a 322. Também foram informados, pelas cinco cidades acompanhadas diariamente, mais 237 casos positivos da doença em 24 horas, elevando o total de infectados, entre vivos e mortos, a 8.504. A região contabiliza ainda 4,5 mil pacientes suspeitos aguardando resultados de exames, com 341 internados e 6,8 mil pessoas já curadas.
Com as quatro mortes de moradores da cidade por Covid-19 informadas na quinta-feira pela Prefeitura de Sumaré, a cidade chegou à marca de 136 desde o início da pandemia. As novas vítimas fatais da doença incluem um homem de 58 anos, sem comorbidades, que faleceu dia 06/08 na Unidade Respiratória do Nova Hortolândia, em Hortolândia; um idoso de 75 anos que faleceu dia 05/08 no Hospital Celso Pierro, em Campinas; uma idosa de 82 anos que faleceu dia 27/07 no Hospital de Campanha do Ibirapuera, em São Paulo; e um homem de 38 anos que faleceu dia 05/08 no Instituto Emilio Ribas, em São Paulo. Estas três vítimas tinham comorbidade, ou seja, doenças ou condições de saúde pré-existentes.
A Prefeitura de Hortolândia informou mais dois óbitos, elevando o total da cidade a 92. A vítima de número 91 foi um homem de apenas 53 anos, com comorbidades, que havia sido internado em 22/07 na Unidade Respiratória do Nova Hortolândia, foi transferido dia 24/07 para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Municipal Mario Covas e veio a falecer dia 05/08. A 92ª morte por Covid na cidade vitimou um homem de 60 anos, também com comorbidades, que deu entrada na UR dia 27/07, foi transferido para o HES (Hospital Estadual de Sumaré) dois dias depois e veio a óbito dia 30/07.
Uma idosa de 89 anos, moradora do Jardim Europa, é a 27ª vítima de Covid-19 em Nova Odessa, segundo balanço divulgado na quinta-feira (06/08) pela Secretaria de Saúde. O município iniciou a semana com 29 mortes, mas havia atualizado o número para 26 na última terça-feira, após adotar um novo critério que exclui moradores de outras cidades do boletim.
De acordo com a secretaria, a idosa morreu no dia 08 de julho, na Unidade Respiratória da cidade. Ela procurou atendimento no Centro de Combate ao Coronavírus no dia anterior, com sintomas de síndrome respiratória aguda grave. Foi internada, medicada, mas não resistiu à evolução rápida da doença. Seguindo o protocolo, profissionais da unidade colheram material para exame e o óbito era considerado suspeito. Ela tinha Alzheimer e diabetes, que são comorbidades para a nova doença.
O Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Corona vírus de Paulínia informou na quinta-feira mais um óbito causado pela doença na cidade – além de ter oficializado a inclusão, na estatística oficial, de um dos dois óbitos de idosos do Centro Municipal de Geriatria informados no dia anterior. A cidade chegou, assim, a 41 mortes pelo novo coronavírus (quatro delas no asilo público municipal).
A nova vítima fatal, a de número 41, trata-se de paciente do sexo masculino, de 70 anos, com antecedentes de hipertensão, sequela de AVC e tabagismo (todos comorbidades). Ele apresentou sintomas respiratórios em 06 de julho, sendo internado dia 13 no HMP (Hospital Municipal de Paulínia), onde veio a falecer na terça-feira, dia 04/08.

ESTADO E PAÍS
Na quinta-feira, o Estado de São Paulo alcançou 24.448 óbitos e 598.670 casos confirmados do novo coronavírus, com 390.601 pessoas já recuperadas e 13.080 ainda internadas, das quais 5.556 em unidades de terapia intensiva – cuja taxa de ocupação é de 59,7%.
Já o painel do Ministério da Saúde apontou mais 1.237 óbitos por Covid-19 incluídos nas estatísticas oficiais nas últimas 24 horas, totalizando 98.493 mortes no Brasil, além de mais 53.139 testes positivos, totalizando 2.912.212 infectados desde o início da pandemia, entre vivos e mortos. A taxa de letalidade nacional está em 3,4% dos positivados.

Sexta-feira, 7 de Agosto de 2020

Veja Também

BRK realiza mais uma etapa da obra de ampliação da ETA 2 nesta 3ª-feira

Intervenção vai ampliar disponibilidade de água para 190 mil moradores; 32 bairros podem ter oscilações ...