No combate à dengue, 40 mil imóveis de Sumaré são visitados no 1º semestre

Equipes da Secretaria de Saúde combatem possíveis focos do mosquito transmissor dos vírus da dengue, zika e Chikungunya

Cerca de 40 mil casas visitadas e 15 mil ações de nebulização foram realizadas no primeiro semestre desse ano em Sumaré, em um trabalho de combate ao mosquito Aedes aegypti, que não pode parar. Mesmo com a atenção das autoridades e da população em geral voltada às medidas de prevenção contra a disseminação do novo coronavírus, a Prefeitura de Sumaré tem intensificado o trabalho em campo e de conscientização dos moradores para eliminar os possíveis focos do mosquito transmissor dos vírus da dengue, zika e chikungunya.
Nessa semana, a equipe de combate a endemias da Secretaria Municipal de Saúde dá continuidade à nebulização em toda a região do Maria Antonia, com o controle de criadouros a partir da aplicação de inseticida com bomba costal pelos Agentes de Endemias.
“Esse bloqueio é muito importante para interromper a transmissão da doença, mas é fundamental que a população cuide do quintal de casa para evitar o desenvolvimento de novas larvas do mosquito”, explicou Sérgio Rumin, coordenador da Unidade de Controle de Vetores.
As ações de informar e orientar a população ficam por conta dos Agentes Comunitários de Saúde. Eles vão casa a casa, verificando os quintais, eliminando materiais inservíveis que possam servir de criadouros e entregando panfletos para que os moradores tenham sempre ao alcance informações sobre os sintomas das arboviroses e medidas de controle do mosquito. Por isso, é muito importante a contribuição dos moradores, facilitando o acesso e a atuação dos agentes municipais. Todos os colaboradores são devidamente identificados com uniformes e crachás e, em caso de dúvida, a população pode entrar em contato pelo canal de atendimento 156.
“A quarentena provocada pelas recomendações de isolamento social visando frear a contaminação pela Covid-19 pode ser uma forte aliada também no combate à dengue, adotando as medidas necessárias para evitar a proliferação do Aedes, cuidando da nossa saúde e de toda a cidade”, reforçou o prefeito Luiz Alfredo Dalben (PPS).
O mais recente boletim epidemiológico, divulgado na segunda-feira (06/07) pela Vigilância em Saúde da Prefeitura de Sumaré, aponta 628 casos positivos de dengue na cidade neste ano, 741 negativos e 41 aguardando o resultado de exames. A cidade registrou 2.866 casos positivos de dengue em todo o ano passado, 2019, com três óbitos.
Em Sumaré, a Lei Municipal nº 5.757/2015 instituiu os “10 Minutos Contra a Dengue”. A campanha propõe que a população reserve 10 minutos por semana para a limpeza de locais que possam servir de foco do mosquito. Dessa forma, é possível interferir no desenvolvimento do vetor, já que o ciclo de vida dele – do ovo ao mosquito adulto – leva de 7 a 10 dias. Com uma ação semanal, é possível impedir que ovos, larvas e pupas do mosquito cheguem à fase adulta, freando a transmissão de doenças.

PREVENÇÃO
Criadouros para o mosquito transmissor dos vírus da dengue, zika e chikungunya podem estar nos quintais, dentro e ao redor das residências, por isso tarefas simples no dia a dia podem prevenir toda a família dessas doenças.
Entre as orientações da Prefeitura, estão manter a caixa d’água sempre fechada e com tampa adequada; remover folhas, galhos e tudo o que possa impedir a água de correr pelas calhas; não deixar a água da chuva acumulada sobre a laje; lavar semanalmente – com escova e sabão – tanques e recipientes utilizados para armazenar água, bem como encher de areia até a borda os pratinhos dos vasos de plantas; trocar a água e lavar os vasos, principalmente por dentro (com escova, água e sabão) pelo menos uma vez por semana; guardar garrafas sempre de boca para baixo; descartar corretamente o lixo, inclusive os pneus inservíveis; e não jogar lixo em terrenos baldios.

Domingo, 12 de Julho de 2020

Veja Também

MP libera quase R$ 2 bi para produção de 100 milhões de vacinas da Covid-19

Recursos federais são destinados para vacina da Universidade de Oxford, que está na última fase ...