Fiscalização de Sumaré notifica 76 estabelecimentos sobre o ‘Plano SP’

Comércios e prestadores de serviços estavam descumprindo quarentena, novamente mais restritiva

Apenas nos seis primeiros dias do mês de julho, 76 estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços de Sumaré foram flagrados desrespeitando as normas da quarentena e do Plano São Paulo, e por isso foram notificados pela Prefeitura da cidade a se adequarem as normas sanitárias determinadas pelo Decreto Estadual nº 64.994. O trabalho é realizado pelas equipes da Vigilância Sanitária e do Setor de Fiscalização, com apoio da GCM (Guarda Civil Municipal) e da Defesa Civil Municipal.
Com o objetivo de reforçar as orientações sobre as medidas de prevenção à Covid-19, o Comitê Municipal de Proteção e Enfrentamento ao Coronavírus intensificou a fiscalização em áreas comerciais das diversas regiões da cidade, fazendo vistorias nos comércios e serviços considerados essenciais – os únicos que podem manter os atendimentos presenciais à população.
“A ação, que já vinha acontecendo de forma a orientar comerciantes e população, foi intensificada por conta do aumento do número de casos da doença na RMC (Região Metropolitana de Campinas)”, destacou a gestão.
Em 1º de junho, a região havia “subido” para a etapa menos restritiva, reabrindo comércios e serviços não essenciais, ainda que com regras rígidas de higiene e horários reduzidos. No entanto, em função da alta taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes graves de Covid-19 (acima dos 80%), os 42 municípios atendidos pelo DRS-7 (Departamento Regional de Saúde de Campinas) foram “rebaixados” pelo Governo do Estado, desde o último dia 06 de julho, da “fase laranja” para a “fase vermelha”, a mais restritiva do Plano São Paulo – voltando na prática à mesma situação que vigorava desde o início da quarentena e até o final de maio.
“Nossa região regrediu na flexibilização e apenas os comércios (e serviços) essenciais estão permitidos a funcionar. Contamos com a consciência de todos. A recomendação aos moradores continua a mesma: fiquem em casa e saiam somente se for extremamente necessário. Vamos juntos barrar a disseminação da doença em nossa cidade e em toda a região”, justificou o prefeito Luiz Alfredo Dalben (PPS).
“Comerciantes que não atendem as normas sanitárias são notificados pelo não cumprimento dos decretos Estadual (nº 64.994) e Municipal (nº 10.815). Estes estão sendo monitorados pelas equipes municipais para que não voltem a desrespeitar as medidas. Novas fiscalizações estão programadas para acontecer durante o mês, inclusive no período noturno, com o apoio da Polícia Militar”, completou a Prefeitura.

ENTENDA
Atualmente, em Sumaré, somente comércios e serviços essenciais podem atender, tais como os das áreas da Saúde, alimentação, abastecimento público, Segurança e limpeza. “Podem permanecer em atividade os estabelecimentos de venda de produtos alimentícios (hipermercados, supermercados, minimercados, mercearias e afins, padarias, açougues, peixarias, feiras livres (não consumir alimentos no local), quitandas, padarias, centros de abastecimento e congêneres, restaurantes e lanchonetes, mas somente com operações de delivery (entrega) e drive-thru (retirada)”, explicou a Prefeitura.
Também podem manter as atividades os serviços e produtos de Saúde (farmácias, drogarias, clínicas médicas e laboratórios) e postos de combustível, loja de conveniências, loja de alimentação para animais, distribuidora de gás e lojas de venda de água mineral.
No entanto, todos os estabelecimentos autorizados devem “observar todas as recomendações sanitárias já determinadas pelo Ministério da Saúde e OMS (Organização Mundial da Saúde), como o controle do fluxo de pessoas limitado, exigência do uso da máscara de proteção, higienização constante do ambiente e a disponibilização de álcool em gel para a constante higienização das mãos, tanto para funcionários quanto para clientes”.
“A relação de estabelecimentos poderá ser reavaliada a qualquer momento, dependendo da fase epidemiológica do contágio e da evolução dos casos no município. A Prefeitura irá intensificar a fiscalização dos estabelecimentos, orientando os comerciantes e clientes”, reforçou a gestão.

Sexta-feira, 10 de Julho de 2020

Veja Também

MP libera quase R$ 2 bi para produção de 100 milhões de vacinas da Covid-19

Recursos federais são destinados para vacina da Universidade de Oxford, que está na última fase ...