18 mil ainda não declararam o IRPF na região; prazo termina às 23h59

Contribuinte que perder o prazo vai pagar uma multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido

A previsão da Receita Federal é que 149.635 contribuintes das cinco cidades da área de cobertura do Jornal Tribuna Liberal devam apresentar a Declaração Anual de Ajuste do IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física) neste ano. No entanto, até as 23h59 do último domingo, 28 de junho (o dado mais recente disponível ontem à noite no site da Receita Federal), apenas 131.667 (o equivalente a 88%) haviam enviado as declarações.
Ou seja, quase 18 mil contribuintes das cidades de Sumaré, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa e Paulínia ainda deviam preencher, corrigir e enviar a declaração até o final do prazo estendido, que termina às 23h59 desta terça-feira, dia 30 de junho. Quem perder o prazo pagará uma multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido.
Para comparação, em 2019 foram entregues 143.449 declarações de Ajuste Anual do IRPF na soma das cinco cidades da microrregião – ou seja, a previsão para 2020 é de um total de contribuintes obrigados a declarar 4,3% maior que no ano anterior.
O período para a declaração do IRPF 2019 começou no último dia 02 de março e vai, excepcionalmente neste ano, até este dia 30 de junho (inicialmente, o prazo era até 30 de abril, mas foi prorrogado em virtude da pandemia do novo coronavírus).
São obrigados a fazer a Declaração de Ajuste Anual do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) de 2020, referente ao ano-calendário 2019, todos aqueles que receberam em 2019 rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, superiores a R$ 28.559,70, ou receita bruta da atividade rural superior a R$ 142.798,50, bem como possuíam bens superiores a R$ 300.000,00 – entre outros critérios.
As informações básicas e links para download do pro grama de preenchimento estão disponíveis no site da Receita, em http://receita.economia.gov.br/interface/cidadao/irpf/2020. O órgão também disponibiliza em “Perguntão 2020” em http://receita.economia.gov.br/interface/cidadao/irpf/2020/perguntao, com as perguntas (e respostas) mais frequentes feitas pelos contribuintes.

DOAÇÃO
Uma forma de apoiar as entidades assistenciais da cidade do contribuinte que atuam diretamente com projetos de atendimento a crianças e adolescentes é através da doação de parte do importo devido aos respectivos (Fundos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente). Até o dia 30 de junho, última data para a entrega da declaração anual de ajuste do Imposto de Renda, é possível fazer a doação, descontando o valor diretamente do imposto devido que será pago pelo contribuinte.
Conforme a legislação vigente, pessoas físicas podem doar até 6% do imposto de renda se fizerem as contribuições ao longo do ano anterior ao da declaração, mas caso a doação ocorra já durante o preenchimento da declaração completa, essa porcentagem se limita aos 3% do valor total pago ao Governo Federal em Imposto de Renda, beneficiando as instituições cadastradas no Fundo Municipal. As doações também podem ser feitas por pessoas jurídicas que fazem declaração pelo Lucro Real, e podem destinar até 1% do IR (Imposto de Renda) devido.
Também é possível destinar outros 3% do imposto devido ao Fundo Municipal do Idoso da cidade do contribuinte. No entanto, de acordo com a Receita Federal, em 2019, o potencial de destinação do IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física) diretamente na Declaração Anual de Ajuste foi de mais de R$ 1,07 bilhão somente no Estado de São Paulo. Desse total, foram destinados R$ 28,2 milhões – ou seja, apenas 2,6% do total.
Para destinar o imposto diretamente na declaração, o contribuinte deve optar pelo modelo completo. Ao preencher a declaração, na ficha “Doações Diretamente na Declaração”, basta escolher quanto quer destinar e para quais fundos. Se tiver alguma dúvida durante o preenchimento, o Menu Ajuda está disponível ao clicar a tecla F1. Depois, é só imprimir o Darf e pagar até o último dia do prazo de entrega da declaração. O valor destinado será abatido do que o contribuinte deveria pagar de imposto, se tiver saldo de imposto a pagar, ou somado à restituição, se tiver saldo a restituir.

Terça-feira, 30 de Junho de 2020

Veja Também

Ex-patroa cometeu crime de abandono de incapaz no Caso Miguel, diz advogado

Criminalista Leonardo Pantaleão diz que conduta induz a uma intenção deliberada com consequência causal e ...