IPMS celebra 50 anos de fundação e ganha Moção da Câmara de Sumaré

Vereador teve Moção de Parabenização aprovada pela Câmara; “Guardinha” celebrou jubileu de ouro no dia 05 de junho

Na sessão ordinária da última terça-feira (02/06), o vereador Dr. Sérgio Rosa (PDT) apresentou Moção de Parabenização dirigida aos atuais diretores, ex-diretores e funcionários do IPMS (Instituto de Promoção do Menor de Sumaré) pelo 50º ano de fundação, comemorado no dia 05 de junho – segundo a Ata de Fundação da então “Pia Sociedade dos Patrulheiros Mirins de Sumaré”, o nome original da entidade assistencial também conhecida como a “Guardinha” da cidade.
O documento foi aprovado em plenário com 17 votos, foi subscrito pelos vereadores Décio Marmirolli (PDT), Fininho (PV), Hélio Silva (Cidadania), João Maioral (PDT), Joel Cardoso da Luz (PSD), Marcio Brianes (PDT), Dr. Rubens Champam (PDT), Ulisses Gomes (PT) e Willian Souza (PT).
Segundo a moção, o Instituto é uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos, que capacita jovens da faixa etária dos 16 aos 18 anos de idade que cursam ensino médio, para participar do programa de aprendizagem previsto na Lei Federal nº 1.097/2000. A lei estabelece para a empresa uma cota de aprendiz de 5% a 15% no seu quadro funcional, exceto para pequena e microempresa. O programa de aprendizagem na empresa possibilita ao aprendiz continuidade na formação profissional e inserção no mercado de trabalho. A entidade tem como objetivo possibilitar a inclusão educacional e social desses jovens.
Fundado em 05 de junho de 1970 pelo desembargador Dr. Geraldo Barreto Fonseca e pelo promotor de Justiça Dr. José Carlos Vieira, o IPMS era então chamado de Pia Sociedade dos Patrulheiros Mirins de Sumaré. Com a ampliação de suas atividades, a diretoria reestruturou a entidade, tendo como princípios primordiais a ética, a tolerância e a responsabilidade em suas ações educativas.
“Esses valores são essenciais na formação da cidadania nas sociedades modernas. O programa de aprendizagem na empresa possibilita ao aprendiz a continuidade na formação profissional e inserção no mercado, ampliando sua perspectiva de futuro. Trata-se de um resgate da cidadania e dos direitos humanos, preconizados pelo Estatuto da Criança e do Adolescente”, afirma Dr. Sérgio.
O documento explica ainda que o processo de seleção dos adolescentes promovido pelo IPMS se inicia quando o jovem está com 15 anos de idade. Uma vez admitido, lhe é proporcionado acesso à informática, leitura, reflexão sobre ética e cidadania, saúde, atividades culturais, além de outros tipos de atendimento. Após a fase de preparação, o adolescente, aos 16 anos, é encaminhado para o estágio de aprendizagem.
A entidade, que tem como atual presidente Sergio Henrique Scardovelli, tem dado prioridade à expansão do projeto Jovem Aprendiz, que conta com cerca de oito mil adolescentes já inseridos no mercado de trabalho.
Todos os profissionais do IPMS são capacitados para fornecer um treinamento eficiente de práticas corporativas, promovendo a inclusão social de adolescentes em vulnerabilidade sócio-econômica por meio de ações socioassistenciais e orientação para o mercado de trabalho.
Toda a equipe tem formação superior em áreas como Pedagogia, Psicologia, Administração de Empresas, Serviço Social, Filosofia, Tecnologia da Informação, Gestão de Pessoas e Tecnologia em Gestão de RH. As instalações do Instituto estão apropriadas para atender ao que determina o § 1º do Artigo 430 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). A sede do IPMS fica na Rua Marco Liasch, nº 210, na Vila Menuzzo, região central da cidade.

Sábado, 6 de Junho de 2020

Veja Também

Ex-patroa cometeu crime de abandono de incapaz no Caso Miguel, diz advogado

Criminalista Leonardo Pantaleão diz que conduta induz a uma intenção deliberada com consequência causal e ...