Autônomo de 51 anos é assassinado na casa da ex no São Domingos, em Sumaré

Ex-companheira da vítima é a principal suspeita do crime; ela desapareceu de sua residência, segundo a Polícia Civil

O autônomo Isidro Ramos, de 51 anos, foi assassinado na residência da ex-convivente, no Jardim São Domingos, em Sumaré, na manhã de quinta-feira, 11 de abril. O corpo da vítima foi localizado pelo seu empregador. Assim que ele percebeu que Ramos não compareceu ao trabalho, decidiu procurá-lo. Quando chegou ao imóvel do autônomo, ele sentiu um odor forte e avisou a Polícia Militar. O delegado Marcelo Moreschi considera a possibilidade de a vítima ter sido atingida por um golpe na cabeça.
Segundo ele, durante a averiguação do caso foi constatado que vários cômodos do imóvel tinham marcas de sangue. A principal suspeita é a ex-mulher da vítima, E.R.R., de 27 anos, que teria saído da residência, desde o último domingo (07), levando a filha do casal de oito meses. Informações dão conta de que ela não foi mais vista pelos vizinhos.
Segundo o boletim de ocorrência, o corpo da vítima foi localizado pelo seu empregador, às 10h15 de quinta-feira, que percebeu que ele não tinha comparecido ao trabalho. Assim que se aproximou da porta da entrada da residência de Ramos, ele sentiu o cheiro forte que vinha do interior da casa e avisou a Polícia Militar.
Os policiais entraram no imóvel e teriam localizado o corpo da vítima que estava deitado de bruço. “O corpo já estava em estado de decomposição, mas foi possível perceber que ele tinha um ferimento na cabeça, além de muito sangue espalhado pela casa”, disse o delegado.
A principal suspeita do crime é a ex-mulher, que está desaparecida, segundo os vizinhos, desde o último domingo, na mesma época em que o crime poderia ter acontecido, de acordo com a Polícia Civil.
Os peritos do IC (Instituto de Criminalística) de Americana estiveram no local para fazer o levantamento sobre as circunstâncias do crime. Posteriormente, o corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Americana para a realização de exame necroscópico para confirmar a causa da morte. Os laudos deverão ficar prontos no período de 30 dias.

POLÍCIA CIVIL
De acordo com a Polícia Civil, a residência onde o autônomo Isidro Ramos, de 51 anos, foi assassinado pertencia à investigada, com quem a vítima teve um relacionamento amoroso anterior, e tem uma filha de oito meses. No entanto, a mulher não tinha mais sido vista pelos vizinhos desde o último domingo.
A Polícia Civil também já apurou que a vítima já tinha registros de boletim de ocorrência de lesão corporal, em que a mulher teria agredido o companheiro e outros por discussões familiares, pois a autônoma não teria permitido que o ex visitasse a filha.
“Vamos tentar localizar a mulher para que ela possa explicar, porque teria saído da casa e se pode relatar algo sobre o ocorrido”, completou o delegado.
O caso foi registrado no 2º Distrito Policial. Até o final da tarde de quinta, a mulher ainda não tinha sido localizada pela polícia.

OUTRO CASO
No dia 13 de março deste ano, Ana Helena Nascimento, de 36 anos, e seu atual namorado, o autônomo Gilson Alves Morabeis, de 35, foram assassinados próximo a um posto de combustíveis no Parque Bandeirantes, na Área Cura, em Sumaré. O casal morreu na hora.
O comerciante F.A.S., de 40 anos, apontado como o autor dos disparos que matou o casal e fugiu a pé depois do crime, acompanhado de seu comparsa, o pintor Tony José Leal, de 45 anos, que teria levado o suspeito até ao local, foi preso pela Polícia Militar. Leal foi autuado em flagrante pela coautoria do caso, que foi registrado como homicídio qualificado. Leal também era foragido de uma saída temporária do Dia das Mães de uma unidade prisional, onde cumpria pena por roubo. O comerciante ainda não foi localizado pela polícia.

Veja Também

Polícia apreende ‘tijolo’ de maconha em telhado de residência na Vila Valle

Homem foi preso e um adolescente, apreendido; dupla é acusada de tráfico de drogas; entorpecentes ...