Cetesb multa a Petrobras em R$ 198,9 mil por ‘odores’ da Replan, em Paulínia

Segundo a agência ambiental, a autuação foi aplicada após o recebimento de “várias reclamações” nos últimos dias

A Petrobras (Petróleo Brasileiro S. A.) foi multada nesta semana em R$ 198.975,00 pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) devido ao forte odor de produtos químicos percebido por moradores das proximidades da Replan, a Refinaria de Paulínia. Segundo a agência ambiental, a autuação foi aplicada após o recebimento de “várias reclamações” nos últimos dias. A Petrobras confirmou a multa, mas não detalhou os motivos que causaram a emissão dos odores pela Replan.
A Cetesb multou nesta terça-feira (19) a Refinaria de Paulínia (Petrobras) em R$ 198.975,00 pela emissão de substâncias poluentes na atmosfera. Desde o início de março, a agência vinha recebendo várias reclamações da população devido a um forte cheiro perceptível em diversos bairros residenciais do município, o que desencadeou uma intensa investigação até constatar que o odor teve como origem a Unidade de Tratamento de Despejos Industriais da Replan”, confirmou em nota a Companhia Ambiental do Estado.
Na mesma nota, a Cetesb afirma que “continuará a trabalhar tanto na fiscalização das fontes de poluição quanto no atendimento às reclamações da população de Paulínia”. “A comunidade local pode contribuir para o aprimoramento das ações de fiscalização, encaminhando reclamações aos canais de comunicação desta Companhia”, ressaltou a agência estatal.
No caso de “percepção de inconvenientes”, os moradores de Paulínia podem registrar suas reclamações por meio do telefone (19) 3844-0466, sempre das 8h às 17h, em dias úteis, ou do telefone 0800 11- 3560, no período noturno e aos sábados, domingos e feriados.
A reportagem questionou a direção da Replan sobre os motivos técnicos que podem ter causado a emissão de odores na atmosfera. Em nota emitida no dia 20, a Petrobras confirmou apenas o recebimento da notificação no final da tarde de terça-feira (19), mas informou que “ainda está analisando o teor do documento” e que, por isso, não poderia se manifestar.

EXPLOSÃO
Em agosto do ano passado, as explosões seguidas de um incêndio na Replan causaram poluição do ar e do solo, e resultaram na aplicação, pela Cetesb, de uma multa de R$ 192.750,00 à Petrobras.
“Em decorrência do acidente, foram observados, por moradores da área urbana de Paulínia, o ruído e a vibração de uma explosão, seguida de outras menores. Os derivados de petróleo em combustão atingiram, também, a via de circulação interna entre as duas Unidades e o canal sob uma tubovia. A operação da refinaria foi paralisada, com o direcionamento de derivados de petróleo, em estado gasoso, aos flares (tochas), dispositivos de segurança previstos para processar os derivados de petróleo antes do seu lançamento para a atmosfera”, justificou a Cetesb na ocasião.
A Refinaria de Paulínia, “coração” do complexo industrial conhecido como Polo Petroquímico de Paulínia, é a maior unidade processadora de petróleo da estatal Petrobras em capacidade, responsável por aproximadamente 20% de todo o refino de petróleo no Brasil. A Replan pode processar mais de 430 mil litros de derivados por dia, divididos em duas “linhas” ou “trens” de produção, atendendo os mercados do interior de São Paulo e de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Acre, Sul de Minas Gerais e Triângulo Mineiro, Goiás, Tocantins e Distrito Federal.

Veja Também

Adesão à ‘Greve Geral’ pode levar a dia descontado, alertam advogados

Centrais sindicais prometem paralisação de atividades nesta sexta-feira, 14 de junho, contra a Reforma da ...