SONY DSC

Nova Odessa inicia arrastões contra dengue no Jardim São Jorge

A combinação de altas temperaturas com as chuvas típicas da época é perfeita para a proliferação do mosquito Aedes aegypti transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela. Por isso, os cuidados devem ser redobrados. A Secretaria de Saúde, através da Vigilância em Saúde – que manteve seus agentes de endemias nas ruas mesmo durante o recesso de fim de ano -, vai passar a fazer arrastões aos sábados.
“O Jardim São Jorge irá receber as duas primeiras ações nos dias 12 e 19. O bairro é um dos que possui a maior densidade larvária do município”, explicou a coordenadora do Setor de Zoonoses da Vigilância, a veterinária Paula Faciulli. “O objetivo é a retirada de tudo que possa servir de criadouro para o mosquito”. Segundo ela, nove agentes irão atuar junto com veículos e motoristas da garagem municipal a fim de eliminar os objetos.
A coordenadora da Vigilância, Adriana Welsch Ferraz, classifica a cooperação da população como fundamental para o êxito dos arrastões. “O nosso pessoal estará devidamente uniformizado e identificado, junto com nosso veículo de combate à dengue, para a segurança da população. Por isso, pedimos a colaboração de todos para que abram suas casas e nos ajudem a exterminar esse perigo”, afirma.
Para o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato, “a redução de criadouros ainda é o melhor método para prevenir a proliferação de mosquitos e, consequentemente, as doenças transmitidas por eles”. O alerta é para a retirada de qualquer objeto que sirva para armazenar água parada, desde as tampinhas de garrafas a ralos e caixas de água. Veja a lista de prováveis criadouros do mosquito da dengue: pneus, latas, vidros, garrafas, vasos de fl ores, pratos de vasos, tonéis, latões, cisternas, piscinas, bebedouros de animais, entre outros.

SONY DSC

Veja Também

Vanderlei Macris anuncia R$ 2 mi em emendas para Nova Odessa

Na semana em que comemora 114 anos, Nova Odessa recebeu na terça-feira (21) um “presente” ...