Nova Odessa inicia arrastões contra dengue no Jardim São Jorge

A combinação de altas temperaturas com as chuvas típicas da época é perfeita para a proliferação do mosquito Aedes aegypti transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela. Por isso, os cuidados devem ser redobrados. A Secretaria de Saúde, através da Vigilância em Saúde – que manteve seus agentes de endemias nas ruas mesmo durante o recesso de fim de ano -, vai passar a fazer arrastões aos sábados.
“O Jardim São Jorge irá receber as duas primeiras ações nos dias 12 e 19. O bairro é um dos que possui a maior densidade larvária do município”, explicou a coordenadora do Setor de Zoonoses da Vigilância, a veterinária Paula Faciulli. “O objetivo é a retirada de tudo que possa servir de criadouro para o mosquito”. Segundo ela, nove agentes irão atuar junto com veículos e motoristas da garagem municipal a fim de eliminar os objetos.
A coordenadora da Vigilância, Adriana Welsch Ferraz, classifica a cooperação da população como fundamental para o êxito dos arrastões. “O nosso pessoal estará devidamente uniformizado e identificado, junto com nosso veículo de combate à dengue, para a segurança da população. Por isso, pedimos a colaboração de todos para que abram suas casas e nos ajudem a exterminar esse perigo”, afirma.
Para o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato, “a redução de criadouros ainda é o melhor método para prevenir a proliferação de mosquitos e, consequentemente, as doenças transmitidas por eles”. O alerta é para a retirada de qualquer objeto que sirva para armazenar água parada, desde as tampinhas de garrafas a ralos e caixas de água. Veja a lista de prováveis criadouros do mosquito da dengue: pneus, latas, vidros, garrafas, vasos de fl ores, pratos de vasos, tonéis, latões, cisternas, piscinas, bebedouros de animais, entre outros.

SONY DSC

Veja Também

Obra da Unidade de Saúde da Família em Monte Mor já está em fase de acabamento

O trabalho de construção da nova USF (Unidade de Saúde da Família) do Jardim Moreira, ...