11 profissionais do ‘Mais Médicos’ já se apresentaram para atuar na região

Das 43 vagas abertas para substituição dos cubanos, 36 foram preenchidas até terça-feira, mas nem todos se apresentaram

Até a última terça-feira, dia 04 de dezembro, apenas 11 médicos brasileiros que aderiram ao “Mais Médicos” do Governo Federal, em substituição aos profissionais cubanos que deixaram o programa, já haviam se apresentado para atuar nas cidades de Sumaré, Hortolândia, Monte Mor e Nova Odessa. Restavam se apresentar outros 25 profissionais. Além disso, das 43 vagas disponibilizadas pelo Ministério da Saúde nestas quatro cidades (uma a mais do que o total de cubanos que vinham atuando nestes municípios), 36 já haviam sido preenchidas até ontem, restando 7 vagas ainda.
O Ministério da Saúde explicou ontem em nota que “ainda não fez balanço regional” de inscritos, e que “isso acontecerá quando as inscrições forem finalizadas”. Ao todo, 8.332 médicos cooperados (cubanos) atuavam no programa. No entanto, o novo edital de substituição oferece 8.517 vagas.
O último balanço da pasta mostrava 34.357 inscritos com registro (CRM) no Brasil. Desse total, 8.393 profissionais já estão alocados nos municípios para atuação imediata. Desse total, 2.667 já eram considerados ontem “profissionais validados e homologados”, alocados em 1.118 “municípios validados e homologados”.
“A data de início dos trabalhos é definida com os gestores locais após a apresentação do médico no município de atuação. Além disso, os profissionais alocados têm até o dia 14 de dezembro para se apresentarem. (Até ontem) 2.667 profissionais já se apresentaram em 1.118 municípios. Esses podem ou não estar já trabalhando, isso depende do combinado com a gestão local”, explicou o Ministério da Saúde. Restavam ser preenchidas, portanto, 124 vagas em 28 municípios – todos do Amazonas, Amapá e Pará.

POR CIDADE
A Prefeitura de Sumaré, onde atuavam dez médicos cubanos até recentemente, confirmou que “nove médicos (brasileiros) já se apresentaram, restando apenas um”. “Três deles iniciaram o trabalho na terça-feira, dia 04, na USF (Unidade de Saúde da Família) Maria Antonia. Os demais devem começar a atender a população até dia 14, conforme previsão do Ministério da Saúde”, acrescentou a Administração Municipal.
Hortolândia, que foi a cidade mais prejudicada pelo imbróglio envolvendo os profissionais cubanos, ainda não havia recebido nenhum substituto até terça-feira. “A Prefeitura de Hortolândia informa que nenhuma das 18 vagas abertas no Programa ‘Mais Médicos’ foram efetivamente preenchidas. Onze profissionais manifestaram interesse e tiveram a documentação validada; destes, seis são aguardados para esta quinta-feira (06/12)”, explicou a gestão hortolandense.
A Prefeitura de Nova Odessa também confirmou que as nove vagas destinadas ao município já receberam inscritos. “A Secretaria Municipal de Saúde está cuidando da homologação (das inscrições). (Os novos médicos brasileiros) devem começar a trabalhar até o final de semana”, acredita a Prefeitura novaodessense.
Por fim, a Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Monte Mor informou que “das 6 vagas abertas com a saída dos cubanos, todas foram preenchidas pelo Ministério”. “Desses seis, dois já se apresentaram e estão trabalhando, e outros quatro passam pela homologação da documentação. Se estiver tudo certo, a previsão é que eles estejam trabalhando até o dia 14/12”, explicou a gestão montemorense.
A Rede Básica de Saúde de Paulínia não contava com profissionais cubanos do “Mais Médicos”, por isso a cidade não foi incluída no novo edital do Ministério.

O PROGRAMA
As vagas preenchidas agora por médicos brasileiros eram ocupadas até o início de novembro por médicos da cooperação com o Governo Cubano, que anunciou sua saída do programa em retaliação a uma série de exigências feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) – dentre elas, de que os profissionais tivessem seus diplomas revalidados, recebessem integralmente os valores das bolsas de R$ 11,8 mil (e não apenas um terço) e pudessem trazer suas famílias ao Brasil.
O “Mais Médicos” foi implantado pelo Governo Federal em julho de 2013, com o objetivo de suprir a carência de médicos nos municípios do interior e nas periferias das grandes cidades do Brasil. Foi firmado um acordo entre Brasil e OPAS (Organização Pan Americana de Saúde) para viabilizar a mobilização de médicos estrangeiros, entre eles, cubanos para atuar no SUS (Sistema Único de Saúde) brasileiro.

Veja Também

Sesi Sumaré finaliza Mostra de Cinema Italiano com dois filmes

Ao todo, são 12 filmes apresentados neste ano como parte da 12ª edição do Projeto ...