Prefeituras confirmam inscrições de 30 novos profissionais no ‘Mais Médicos’

Em Hortolândia e Monte Mor, todas as vagas abertas pela saída dos profissionais cubanos do Programa já foram preenchidas

Das 43 vagas destinadas a médicos brasileiros ou com diplomas revalidados no Brasil para as cidades da região, 30 já haviam sido preenchidas até a segunda-feira (26/11), confirmaram as prefeituras da área de cobertura do Jornal Tribuna Liberal. As melhores situações são de Hortolândia e Monte Mor, onde todas as vagas abertas pela saída dos profissionais cubanos do programa já foram preenchidas e devem ser repostas.
Apesar de estar atualizando constantemente as informações sobre o edital de reposição dos cubanos do Programa “Mais Médicos”, o Ministério da Saúde ainda não confirma as cidades que os profissionais inscritos escolheram para atuar. “A pasta ainda não fechou o balanço regional. Esses dados serão divulgados posteriormente ao encerramento das inscrições”, resumiu o Ministério. As prefeituras, no entanto, já conseguiram obter esta informação.
“Até o momento, três novos médicos já apresentaram documentação em Sumaré. Eles devem iniciar o atendimento à população até o dia 14 de dezembro, segundo o Ministério da Saúde”, adiantou a Administração sumareense, por exemplo.
Sumaré contava com 14 profissionais do Programa Mais Médicos, sendo 10 deles cubanos e que deixaram de prestar os serviços na última quarta-feira, dia 21 de novembro. Todos atuavam como Médicos da Família, em seis Unidades de Saúde (no total, são 23 Unidades na Rede Municipal): São Judas, Bandeirantes, Angelo Tomazin, Maria Antonia, Bordon e CIS Nova Veneza.
“Com a saída dos profissionais cubanos, apenas a unidade do São Judas ficou sem médico para atendimento adulto, porém, caso algum paciente necessite de atendimento com urgência, como para troca de receita, por exemplo, esse atendimento será realizado por outro profissional da Rede. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a saída dos médicos cubanos não deve gerar grandes impactos no atendimento em Sumaré, caso a reposição dos profissionais seja realmente realizada no início de dezembro, como prevê o Ministério de Saúde. A situação se assemelha, por exemplo, com um período de férias dos médicos, havendo remanejamento de agenda, sem prejuízos significativos à população”, explicou a prefeitura local.
Da mesma forma, a Prefeitura de Hortolândia também confirmou que os profissionais brasileiros já “preencheram” as 18 vagas do “Mais Médicos” abertas no município após a saída de profissionais cubanos.
“Porém, a Prefeitura aguarda a apresentação desses novos médicos. O município contava com 26 profissionais do Programa, sendo que 18 são cubanos. Quatro Unidades de Saúde contavam exclusivamente com profissionais de Cuba, e estão sem médicos desde a quarta-feira (21/11) – Jardim São Sebastião, Parque Orestes Ôngaro, Jardim Adelaide e Jardim Nova Europa. As demais Unidades, que também tinham profissionais cubanos, estão com sua capacidade de atendimento significativamente reduzida, já que também perderam médicos”, explicou a Administração hortolandense.
“Todas as 6 vagas de Monte Mor foram preenchidas. A expectativa é que iniciem o trabalho logo na primeira semana de dezembro”, confirmou a prefeitura montemorense. “Das nove vagas previstas, segundo a Secretaria de Saúde, três já foram preenchidas (isso até sexta-feira), faltando apenas a homologação (das inscrições)”, informou a Prefeitura de Nova Odessa.

RMC E BRASIL
Paulínia não contava com médicos cubanos do Programa Mais Médicos. As 20 cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas) estão perdendo um total de 119 médicos cubanos, e por isso os prefeitos da região fizeram semana passada uma carta de apelo ao Ministério e aos presidentes Michel Temer (MDB, atual) e Jair Bolsonaro (PSL, eleito) para o preenchimento urgente das vagas abertas.
Até ontem, segundo o Ministério da Saúde, 97,2% das vagas de reposição do “Mais Médicos” já haviam sido preenchidas no país. “Até às 12h desta segunda-feira (26/11), são 30.734 inscritos com registro (CRM) no Brasil. Desse total, 21.407 foram efetivados e 8.278 profissionais já estão alocados no município para atuação imediata. Na apresentação ao município, que vai até 14 de dezembro, o médico deve entregar todos os documentos exigidos no edital”, explicou a pasta.

Veja Também

Comitiva de Sumaré reforça a ministro pedido de oferta de terapia para AME

Em continuidade à Luta Pela Cura da Atrofia Muscular Espinhal, grupo cobrou de Gilberto Occhi ...