Comunidade científica se reúne pela 1ª vez nas instalações do Projeto Sirius

Encontro marca 28ª Reunião Anual de Usuários do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, um imenso acelerador de partículas

Pesquisadores de diversas partes do Brasil e também de outros países se reúnem até esta sexta-feira, dia 09 de novembro de 2018, no campus do CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais) em Campinas, para a 28ª Reunião Anual de Usuários do LNLS (Laboratório Nacional de Luz Síncrotron). Pela primeira vez, o encontro da comunidade científica vai acontecer nas instalações do Sirius, o novo acelerador de partículas brasileiro, que está em fase final de construção e que vai funcionar como um imenso microscópio ultrapoderoso e ultrapreciso.
O encontro anual de usuários do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron é uma “oportunidade de discussão de projetos de pesquisa que podem se beneficiar do novo acelerador de partículas brasileiro”.
A reunião tem como objetivos reunir a comunidade de usuários do LNLS, incentivar a troca de experiências e promover debates sobre as instalações existentes e futuras. É um importante fórum para discussão, avaliação e apresentação de propostas para o aprimoramento dos recursos de pesquisa.
Com a conclusão iminente das obras de Sirius, que tem cerimônia oficial de entrega da primeira fase das instalações do projeto marcada para a próxima quarta-feira (14), a participação da comunidade científica torna-se essencial para descrever suas necessidades e expectativas para a nova fonte de luz síncrotron.

SOBRE O CNPEM
O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais é uma organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações. Localizado em Campinas-SP, possui quatro laboratórios referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial.
Laboratório Nacional de Luz Síncrotron opera a única fonte de luz síncrotron da América Latina e está, nesse momento, construindo Sirius, o novo acelerador brasileiro, de quarta geração, para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos; o LNBio (Laboratório Nacional de Biociências) desenvolve pesquisas em áreas de fronteira da Biociência, com foco em biotecnologia e fármacos; o CTBE (Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol) investiga novas tecnologias para a produção de etanol celulósico; e o LNNano (Laboratório Nacional de Nanotecnologia) realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país.
Os quatro Laboratórios têm, ainda, projetos próprios de pesquisa e participam da agenda transversal de investigação coordenada pelo CNPEM, que articula instalações e competências científicas em torno de temas estratégicos.

PROJETO SIRIUS
Sirius, a nova fonte de luz síncrotron brasileira, será a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no País e uma das primeiras fontes de luz síncrotron de 4ª geração do mundo. É planejada para colocar o Brasil na liderança mundial de produção de luz síncrotron e foi projetada para ter o maior brilho dentre todos os equipamentos na sua classe de energia.
Fontes de luz síncrotron constituem o exemplo mais sofisticado de infraestrutura de pesquisa aberta e multidisciplinar e é uma ferramenta-chave para a resolução de questões importantes para as comunidades acadêmica e industrial brasileiras. A versatilidade de uma fonte de luz síncrotron permite o desenvolvimento de pesquisas em áreas estratégicas, como Energia, Alimentação, Meio Ambiente, Saúde, Defesa e vários outros.
Essa é a razão pela qual a tecnologia da luz síncrotron se torna cada vez mais popular ao redor do mundo. É também o motivo pelo qual os países com economias fortes e baseadas em tecnologia já contam com uma ou mais fontes de luz síncrotron, ou as estão construindo.
A luz ou radiação síncrotron é um tipo de radiação eletromagnética que se estende por uma faixa ampla do espectro eletromagnético – luz infravermelha, ultravioleta e raios X. O prédio do Projeto Sirius tem 68 mil metros quadrados que abrigará os aceleradores de elétrons e as estações experimentais estará entre as obras civis mais sofisticadas já construídas no Brasil. Saiba mais em https://www. lnls.cnpem.br/.

Veja Também

Quem vai ao Litoral deve se vacinar contra febre amarela, alerta Saúde

Doses gratuitas são ofertadas em postos de vacinação e devem ser tomadas dez dias antes ...