Vice-prefeito de Sumaré, Henrique do Paraíso fica na 1ª suplência da Câmara

Candidato sumareense foi o 7º mais votado do seu partido, o PRB, que fez seis deputados federais pelo Estado de São Paulo

Por pouco, o ex-vereador e atual vice-prefeito de Sumaré, Henrique Stein Sciáscio, o Henrique do Paraíso (PRB), de 33 anos, também não foi eleito diretamente para uma das 70 cadeiras às quais o Estado de São Paulo tem direito na Câmara dos Deputados, em Brasília. Ele obteve, no último domingo (07), 54.113 votos – o equivalente a 0,26% do total de votos válidos a deputado federal no Estado. No entanto, com essa expressiva votação, Henrique é o 1º suplente do seu partido, e pode vir a assumir uma vaga na Câmara dos Deputados ao longo da próxima legislatura – possibilidade em que ele próprio acredita.
No total, o partido de Henrique do Paraíso fez seis deputados federais por São Paulo. São eles Celso Russomano (521.728 votos), Marcos Pereira (139.165 votos), Vinícius Carvalho (97.862 votos), Roberto Alves (82.097 votos), Milton Vieira (77.413 votos) e Maria Rosas (71.745 votos). O vice-prefeito de Sumaré foi o 7º mais votado do PRB, e portanto é o primeiro suplente da sigla.
A votação de Henrique, na verdade, foi superior à de três deputados federais efetivamente eleitos por São Paulo. São eles: Herculano Passos, do MDB, com 49.653 votos; Alexis (Novo), com 45.298 votos e Guiga Peixoto (PSL), que obteve 31.718 votos. No entanto, todos eles foram beneficiados pelas votações de outros candidatos de seus partidos ou coligações, garantindo vagas através do quociente eleitoral. Os dois candidatos mais bem votados do Estado, por exemplo, são do PSL: Eduardo Bolsonaro (1.843.735 votos) e Joice Hasselmann (1.078.666 votos).
O atual vice-prefeito angariou 44.675 votos em seu próprio domicílio eleitoral (os outros 9.438 vieram de outras cidades da região), e foi de longe o candidato a deputado federal mais votado em Sumaré, com 36,07% do total de votos válidos para o cargo na cidade.
Para comparação, o segundo candidato a deputado federal mais votado na cidade, no entanto, foi um “estrangeiro” de sobrenome famoso: Eduardo Bolsonaro (PSL), com 10.475 votos, seguido pela correligionária Joice Hasselmann, com 5.483 votos de sumareenses.

QUATRO ANOS
Além disso, a votação obtida por Henrique do Paraíso neste ano foi muito superior à que o então vereador obteve na campanha para deputado federal de 2014, quando ele recebeu 23.901 votos (0,11% do total de votos válidos para deputado federal naquelas eleições gerais). Desse total, 22.515 foram obtidos em Sumaré naquele ano.
Ou seja, em apenas 4 anos (e “turbinada” nesse intervalo de tempo pela eleição a vice-prefeito na chapa do atual chefe do Executivo, Luiz Alfredo Dalben, do PPS, em 2016), Henrique viu sua votação para deputado federal crescer expressivos 126,4%.

AGRADECE
Mesmo suplente, Henrique agradeceu a expressiva votação que obteve na cidade e na região. “Quero agradecer a Deus e ao povo de Sumaré e da região pelos votos de confiança. Foram 54 mil eleitores que acreditaram em mim. Obrigado também a todos que trabalharam diretamente e indiretamente pela nossa candidatura, aos meus amigos e à minha família. Há uma grande chance de assumirmos a cadeira de deputado federal, através das conjunturas e composições governamentais, mas independente disso continuarei lutando e defendendo o povo que eu amo, seja como vice-prefeito ou deputado federal. Fico feliz por meu trabalho ser reconhecido em Sumaré e região. O povo demonstrou nas urnas que estamos no rumo certo”, finalizou o vice-prefeito.

OUTRO
O outro candidato a deputado federal com domicílio eleitoral em Sumaré, o ex- -vereador Toninho Mineiro (PV), obteve 5.022 votos no total, dos quais 4.523 foram dados por eleitores sumareenses, e não conseguiu uma vaga na Câmara dos Deputados em Brasília.

Veja Também

MP-SP ‘instrui’ Câmara de Paulínia a analisar impacto financeiro de abono

Projeto do prefeito interino Antonio Miguel Ferrari, o Loira, já foi protocolado na Câmara e ...