Vereador orienta usuário de Monte Mor a fazer reclamações na EMTU

Superlotados, redução nos horários, atrasos, veículos em mau estado e acúmulo de funções foram alguns dos problemas citados
Ônibus superlotados, redução nos horários das linhas, atrasos constantes, veículos em mau estado de conservação e acúmulo de função dos motoristas, que agora também precisam efetuar a cobrança das passagens. Estas são algumas das muitas reclamações recebidas pelo vereador de Monte Mor, Eduardo Bispo (PSDB), com relação aos problemas no Transporte Público Coletivo da cidade.
Em discurso na sessão da Câmara do dia 24 de setembro, o parlamentar disse ter recebido, nos últimos dias, “diversas reclamações de usuários”, inclusive pelas redes sociais. “Está um transtorno, tanto para os passageiros quanto para os próprios motoristas”, afirmou um dos internautas, ao relatar o risco de acidentes, no caso dos motoristas que, além de dirigir, precisam receber o dinheiro das passagens.
“Em vez de dar emprego, a empresa vai na contramão”, reclama outro internauta, em postagem lida pelo parlamentar, no pronunciamento. “Está um caos. Demorando mais de uma hora para chegar em Campinas”, acrescenta outro morador. O pequeno número de veículos adaptados para pessoas com deficiência também foi alvo de reclamações dos usuários.
Comentando a urgência de solução para esses problemas, manifestando repúdio aos mesmos e pedindo apoio do Executivo, na busca por estas melhorias no transporte público, Bispo também defendeu que os usuários formalizem reclamações junto à EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos). Os telefones da estatal são 0800 724-0555 e (19) 3736-5700.

SP-101
Bispo também voltou a abordar as obras de duplicação da Rodovia SP-101, no trecho entre Monte Mor e Capivari. E pediu uma atuação firme da Comissão criada pela Câmara para acompanhar os trabalhos, visando evitar que problemas, como o ocorrido no trecho entre Monte Mor e Campinas, duplicado anteriormente, se repitam.
O vereador disse que recebeu, no dia 20, ofício da Artesp, contendo respostas a questionamentos sobre as obras. Com relação ao acesso de crianças e alunos à creche do Jardim Progresso, a estatal “garantiu que a alteração melhorará as condições de segurança”, já que a entrada será feita a partir da Rua Milton Staropolis (Rua 2), e não pela Rua 1, que é próxima à rotatória.
“Com relação à necessidade de construção de retorno antes do pedágio, a Artesp informou que o mesmo não está previsto no Edital de Concessão, e que somente após a apresentação de estudos e projetos, já solicitados à concessionária, será possível dar prosseguimento ao processo de reequilíbrio contratual para incorporação desta obra ao Edital”, disse Bispo.
“A Artesp também informou que a construção de estradas vicinais não faz parte do contrato. Também explicou que a acessibilidade aos bairros lindeiros à SP 101 deve ser prevista no Plano Diretor do Município, sendo responsabilidade da prefeitura a garantia da mesma”. O vereador também disse que, segundo a Artesp, não é possível conceder isenção da tarifa para moradores.
Para Bispo, “cabe aos vereadores integrantes da Comissão criada pela Câmara para acompanhar a obra agir e cobrar da concessionária Rodovias do Tietê, por exemplo, agilidade na elaboração dos estudos técnicos para implantação do retorno antes do pedágio”. E, ainda, cobrar da prefeitura planejamentos para a futura construção de estradas vicinais, em caso de necessidade.

Veja Também

Unasp Hortolândia promove 34ª edição do Encontro de Ex-Alunos

Encontro dos últimos dias 07, 08 e 09 de junho contou também com apresentações de ...