A 2 dias do fim da vacinação, quatro cidades da região não atingiram meta

Segundo o Ministério da Saúde, 168 municípios de São Paulo não atingiram a meta de vacinação contra a pólio e o sarampo

A campanha de vacinação contra sarampo e paralisia infantil (poliomielite) termina nesta sexta-feira (14) no Estado de São Paulo. O Ministério da Saúde divulgou no final da tarde de quarta-feira (12), a dois dias do fim do prazo, um balanço atualizado do desempenho de cada município do Estado de São Paulo, mostrando que quatro das cidades da área de cobertura do Jornal Tribuna Liberal ainda não haviam atingido a meta de imunizar 95% das crianças com idades entre 1 e 4 anos. Eram elas: Hortolândia, Nova Odessa, Paulínia e Sumaré (veja quadro). Ou seja, na microrregião, apenas Monte Mor havia imunizado mais de 95% do total de crianças.
No geral, a três dias do término da Campanha Nacional de Vacinação (o dado era da terça-feira), 168 municípios de São Paulo não haviam atingido a meta de vacinar, pelo menos, 95% das crianças de um a menores de cinco anos contra o sarampo e a poliomielite.
Dados preliminares do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização, alimentado pelos estados, apontam que São Paulo vacinou 92,68% do público-alvo contra a pólio e 91,96% contra o sarampo. A capital São Paulo também registra uma cobertura baixa, com menos de 95% das crianças vacinadas. Em todo o estado, foram aplicadas mais de 4,0 milhões de doses das vacinas.
Todas as crianças de um a menores de cinco anos devem se vacinar independente da situação vacinal. O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, destaca a importância da mobilização de toda a sociedade para atingir a meta de vacinação. “A Campanha termina na próxima sexta-feira (14). Pais e responsáveis devem buscar os postos de vacinação. A vacina é a forma mais eficaz de proteger nossas crianças contra doenças já eliminadas no país”, enfatizou o ministro.

CAMPANHA
A média nacional de vacinação está em 94%. Foram aplicadas em todo país cerca de 20,8 milhões de doses das vacinas (10,4 milhões de cada vacina). Onze estados e mais de 4 mil (72%) municípios atingiram a meta. Mas cerca de 1.500 cidades ainda devem buscar alternativas para vacinar 95% do público-alvo até a sexta-feira (14), quando se encerra a Campanha Nacional de Vacinação.
Na faixa etária de 3 e 4 anos, a cobertura vacinal está acima da meta, com 96,95% e 95,44%, respectivamente. A maior preocupação é com faixa de um ano de idade, cuja cobertura ainda está em 85,45%. O sarampo e a poliomielite são doenças infectocontagiosas que podem resultar em complicações graves para as crianças, além de levar até a casos de morte.

ESTADO
Devido a esta situação preocupante, novamente nesta semana a Secretaria Estadual de Saúde “convocou” os pais e responsáveis para levarem as crianças aos postos até a próxima semana. As doses seguem disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde mantidas pelas prefeituras e que dispõem de salas de vacinação.
O Estado já aplicou mais de 4 milhões de doses de vacinas contra ambas as doenças, garantindo a imunização de 2.022.141 crianças contra pólio e 2.002.525 contra sarampo, conforme aponta o balanço feito pela pasta, com base nos dados informados pelos municípios.
O prazo de encerramento da campanha foi prorrogado, seguindo a recomendação do Ministério da Saúde. Cada município pode organizar suas estratégias conforme as necessidades locais, incluindo os que eventualmente já tenham atingido a meta. “Pedimos que os pais e responsáveis levem as crianças aos postos durante esta semana. É muito importante chegarmos à meta de 95% de cobertura vacinal contra poliomielite e sarampo, pois isso contribui para a eliminação dos riscos da circulação dessas doenças”, afirmou a diretora de Imunização da Secretaria, Helena Sato.
Não há registro de casos de paralisia infantil em São Paulo há 30 anos e, desde 2000, não existem casos autóctones de sarampo no Estado.

Veja Também

Inatividade pode trazer riscos à saúde, alerta Organização Mundial da Saúde

Um quarto de todos os adultos do planeta está “inadequadamente ativo”, aponta relatório da revista ...